Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

sábado, 12 de junho de 2010

O IMPARCIALISMO

O IMPARCIALISMO

O IMPARCIALISMO

O IMPARCIALISMO
Apartheid sem Cor

Não podemos permitir isso:
Crianças comendo em lixão,
Barracos feitos de papelão,
Casebre pendurado no morro,
Crianças trabalhando no sinal,
Crianças vendendo o corpo,
Mulheres dando seus filhos,
Pais vendendo seus órgãos,
Modernidade destruindo o planeta,
Cabanas embaixo de viadutos,
Moradias dentro do esgoto,
Roubos e mulatos bandidos,
Dança que insinua sexo,
Velhinhos catando lixo,
Morte em corredor hospitalar,
Crianças trabalhando para comer,
Padre e pais pedófilos,
Políticos e sociedade corrupta...
Essa geração sem rumo,
Esse consumismo, essa genética...

Nossa conservação cultural é também a conservação de nossa miséria.

Não podemos aceitar isso:
Essa visão unilateral especialista,
Esse nosso passado histórico,
Essa nossa exclusão social,
Essa conservação da pobreza,
Abolição que não veio,
O preconceito que enraizado,
Esse apartheid sem cor,
Essa nossa miséria cultural,
Essa preservação da ignorância,
Essa nossa visão colonial,
Essa escola, vergonha pública,
Esse histórico abismo social,
Essa nossa clássica corrupção,
Essa cegueira de excluído,
Esse orgulho de favelado,
Esse preconceito de vira-lata,
Essa brasilidade não assumida,
Esse nosso jeitinho jeca,
Essa nossa baixa estima...

Octavio Guerra
J.Nunez

Poesia escrita na métrica Imparcialista

O IMPARCIALISMO: Aos Discípulos de Nietzsche

O IMPARCIALISMO: Aos Discípulos de Nietzsche

O IMPARCIALISMO: Literary movement Imparcialismo | Movimiento literario Imparcialismo

O IMPARCIALISMO: Literary movement Imparcialismo | Movimiento literario Imparcialismo

O IMPARCIALISMO: Poesias para o Dia dos Namorados...

O IMPARCIALISMO: Poesias para o Dia dos Namorados...

O IMPARCIALISMO: Visão holística de empresa e negócios

O IMPARCIALISMO: Visão holística de empresa e negócios

O IMPARCIALISMO: Parque Indústria Alameda dos Ipês

O IMPARCIALISMO: Parque Indústria Alameda dos Ipês

O IMPARCIALISMO: Craque de futebol pode tudo...

O IMPARCIALISMO: Craque de futebol pode tudo...

O IMPARCIALISMO: Fertilidade

O IMPARCIALISMO: Fertilidade

O IMPARCIALISMO: Visão holística de empresa e negócios

O IMPARCIALISMO: Visão holística de empresa e negócios

O IMPARCIALISMO: Touro

O IMPARCIALISMO: Touro

O IMPARCIALISMO: Vítimas da Guerra do Sexo

O IMPARCIALISMO: Vítimas da Guerra do Sexo

O IMPARCIALISMO: Craque de futebol pode tudo...

O IMPARCIALISMO: Craque de futebol pode tudo...

Sociedade Pós- Moderna

Certamente ela não dirá, fique mais uma noite.
Mas ela me ensinou tudo para eu possa seduzi-la...
E as mentiras que ela mais gosta de ouvir.
Certamente ela ensinou isso para mais uma centena.
Realmente não importa: vida e prazer é tudo...
Falei sobre ela ao meu amigo,
O indigestivel poeta Salomão Alcantra
O que se pode esperar daquele animal racional
Com suas grasseiria realista e sua franqueza cruel!
Ele tirou todo meu encantamento quando disse:
_Isso é igual à vítima sabendo que alguém vai-lhe fazer uma maldade
E ela mesma diz como deve ser feita essa maldade,
Isso se parece com armar o próprio sequestro
e maltratar o sequetrador no cativeiro,
E tudo muito incoerrente e fora do lugar...
É natural que olhemos para o caos e vemos nele uma ordem,
afinal estamos muito acostumados com a desarrumação da vida.
Agora a chamada pós-modernidade e que nós os imparcialistas
Chamamos de Sociedade do Prazer,
Essa sociedade que estruiu o teocentrismo,
E depois de destronar Deus, colocaram o homem no centro do universo,
Caminhou para o individualismo cada vez mais competitivo cobiçoso e egoista.
No ápice de nossa individualidade está essa sociedade do prazer,
Que é capaz de destruir e desprezar tudo que for necessário em nome do prazer,
Somos a sociedade da inclução social
Sem importa o quando somos espurgo de humanos,
Tudo em nome do prazer individual.
_Cala essa boca Salomão Alcatra!
Você já roubou esse poema, já roubou meu encantamento
Agora quer roubar as ilusões da humanidade!
Quanto aquela mulher que havia me ensinado tudo...
Ainda brincamos de fazer se enganados...
E eu gosto tanto dessas mentiras caridosas...
Elas nós deixam tão bonitos por forá,
Afinal, o que são as mentiras se são ornamentos!...
Hermínio Vasconcelos Salomão Alcantra J.Nunez

O IMPARCIALISMO
27-03.2010

NÃO SOMOS PÓS-MODERNOS, SOMOS IMPARCIALISTA NA SOCIEDADE
DO PRAZER.

O Imparcialismo: Poesia Para o Novo Contexto


O Imparcialismo é um movimento literário que busca a poesia para o novo contexto, a poesia que faça uma leitura do homem contemporâneo, com seus medos, suas aflições, suas duvídas, sua fraquezas, seus sofrimentos e de seu comportamento diante a vida etc.
Essa é a poesia para a Era da Informação, para a mulher emancipada e para o homem desmotivado e desorientado.
O Imparcialismo é escrito por catorse poetas ou pseudônimos de J.Nunez

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Atos Secretos

Nevoeiro encobre a cidade,
Ela voltou mais cedo
E me pegou em "atos secretos"
Embaixo do edredom.
Tentei explicar: ela disse que não precisava,
Mas a vergonha ainda persiste
E continuo tentando explicar:
"Não fiz nem menos nem mais
Do que você faz em pensamento
Quando esta em público."
Talvez eu seja só mais um sujo querendo
Justificar nivelando você comigo.
O nevoeiro foi ontem; hoje o Sol
Deixa entrar pela janela sua claridade raliada de verão,
Deixa essa vontade do seu beijo úmido e quente.
Tudo é noticia; estatística de sexo casual também é noticia,
Violência não é mais noticia é matéria prima para o cinema,
É produto de consumo para a tv,
Mas o que me importa mesmo
É trazer de volta seu beijo quente e úmido
E nosso sexo casual que rolava
Antes de eu ser pego em "atos secretos".
Ela voltou, entendeu que foi solidão e até me perdoou,
Mas para me dizer isso,
Ela veio com um homem elegantíssimo e bem sucedido
Certamente ela espera que eu tenha um pouco de nobreza
E corte os pulsos quando saindo ela bater a porta.
Talvez ela pensa que sou uma gueixa suicida
Ou um político asiático, ela realmente não me conhece!...

Abílio Santana

J. Nunez

Sou degenerado e frouxo na moral quando sou Abílio Santana.

Touro

Taurus

O touro na arena
Persiste no ataque
Até que o sangue de seu corpo esgote,
Até que sua força descomunal se acabe.
O touro na arena não se entrega a morte.
O matador na arena joga com a sorte,
Porque hoje é o dia do touro.
Não facilite porque certamente
Não sou o tempo todo
Touro Ferdinando que cheira flores,
Tem sempre uma abelha para me enfurecer.
Sou do exercito do Rei Leônidas
Portanto meu esforço é incalculável.
Não sou o boi castrado,
Não sou o touro imolado,
Sou criação de Vulcano
deus do fogo e da forja,
Tão feio quanto a realidade do ser humano.
Não morreria sem antes lutar até exaustão,
Porém, me entregaria de alma e coração,
Para reservar um mistério ou um segredo.
Sou essencialmente touro,
Vencedor quando vencido.

Saturnino Queiros
J.Nunez

Apesar de o amor ser uma troca de fluídos e calorias.

Eu poderia ter vivido um amor
Desses que dói de mais e põem cornos de mais...
Mas olhei bem para ela e vi que não dá...,
Apesar de o amor ser uma troca de fluídos e calorias.
Eu poderia ter personificado o amor naquele corpo,
Como disse o poeta Murilo Santiago,
Mas olhei bem para ela e vi que não dá...
Havia entre nós uma grande diferença
Biológica, fisiológica, anímica e psicológica,
Uma absurda discrepância potencial,
Ela é movida a energia nuclear,
Tem quadril hidráulico, e suspensão a ar nas pernas,
E turbinas em tudo,
E eu sou apenas um homem de disfunção erétil
E ereção matinal.
Ela tem um metro e setenta e cinco quando sai do salto,
Setenta e oito de cintura,
Noventa e nove vírgula nove de busto,
E quadril cento e dezoito...
E mais, muito, muito “TALENTO’’ e superficialidade...
Como eu não iria me apaixonar!
Se o amor depois da idade madura
Perde as ilusões e a vergonha na cara,
E se torna desejos descarados e noções de incoerências.

Abílio Santana
J.Nunez

Visão holística e globalização

Como desassociar a globalização da visão holística da vida, não temos essa intenção, porém podemos observar que ambas podem caminhar paralelamente ou se integrar um com a outra tornando se um coisa só.
A visão holística da vida a é muito mais romântica que a visão de mundo globalizado, a holística é uma realidade de alma de condição humana e processo de vida, a visão globalizada possui a frieza do capitalismo, o olhar deslumbrado sobre a modernidade a falta de alma e coração que há nos interesses econômicos . A visão holística não é coisa nova e muito menos exclusivamente nossa, ela está em todas as culturas primitivas do mundo, e está ligada diretamente a nossa condição de homem naturalmente primitivo,com nossas características biológica, psicológica e emocional. Certamente a prática consciente de uma vida holística está associada à cultura indígena primitiva, nela encontramos o homem integrado a natureza e a espiritualidade, essa integração é tão perfeita que não existe fronteira entre os mundo espiritual e o material. A visão holística que é implantada nas empresas é um olhar positivo sobre a vida e o homem, porém, essa visão necessita e de sinceridade, para que não caia na falsa consideração humana e torna é olhar consciente de si e da vida mais um recurso para praticarmos desumanidade mascarada pela falsa boa intenção, foi assim que erramos o caminho quando usufruímos erroneamente de nossa maravilhosa caridade cristão. Esse olhar romântico sobre a vida moderna é perfeitamente possível.

J.Nunez

pesquise o poeta imparcialista e sua visão holística Cícero Fernádez

quinta-feira, 10 de junho de 2010

O Fim do Modernismo

O Modernismo identificado e caracterizado pelo avanço tecnológico e científico, industrialização e consumismo, certamente não terá um fim, esse modernismo é capaz de se adaptar a todas as circuntâncias. Pode se observar que o capitalismo televisivo já se adaptou as catastrofes ambientais e a explora como possibilidades de audiência.
O capitalismo cristão criou padres para todos os gostos, e lentamente esqueçe Nossa Senhora em nome de um mercado de vendas de produtos religiosos bem maior. Apesar do surgimento de um corrente cristão que é contra o consumismo e o excesso de materialismo em que as religiões cairam, não acredito no fim de desse tipo de modernismo, olhando do ponte de vista do lucro e da exploração de mercado.
O fim do modernismo pode se dar em visões individuais, partindo da consciência ambiental e do olhar crítico sobre as consequências desses duzentos anos de exploração intensa dos recursos naturais, da consciência de que o modernismo com seu consumismo, seu avanço cientifico, tecnologico e indústrial roubou do homem o coração e a alma, esse roubo se dá em nosso distanciamente de nos mesmo e do outro, no tempo que nos devora, na incapacidade de aceitar à vida, a morte e a si mesmo, na competitividade voraz, na incapacidade de apreciar o outro, na busca insessante por auto-afirmação, na cobrança sobre nos mesmos e sobre o outro, na pressão psicologica, no possilibismo social, na exclusão social e na diferença absurda das divisões de renda que faz do excluido e marginalizado uma arma perigosa para os beneficiados na sociedade, no medo do amanhã com sua fragilidades esconômicas, na indútria e no comercio que desconsidera o homem e sua condição de ser humano que por si só já nos torna dignos de repeito, na destruição de conhecimentos e verdades em nome de consumos, no pruduto que consumimos e fala mias de nós mesmo que a nossas próprias atitudes, na fragilidade do meio ambiente e do clima que nos traz tantos medos, na deformação e descaracterização do homem quando sexo masculino com suas virtudes, instintos e defeitos e da mulher quando sexo feminino e presa a condição sublime de ser à portadora da vida, nas teorizações que adultera e tenta dignificar tudo em nome de inclusões socias e prazeres que são contrários a todas as lei pela qual a vida é regida, na mentalidade dessa sociedade do prazer, que acredita que tudo deve estar sujeito ao seu desejos e conceitos de felicidade, nessa sociedade que acredita em um Deus moldagem aos seus caprichos, no distanciamento de gerações provocado pelo distanciamento de conhecimentos e desvalorização da experiência de vida, das vivencias individuais de nossos avôs, eles que possuem mais alma e coração que nós geração engolida por jogos virtuais, modas repentinas e cultura de consumo patronizado que rouba de nós a individualidade, na destruição e desestruturação da familia, na educação terceiriza e incluência externas que torna nossos filhos ( em processo de formação ) irreconheciveis etc etc etc
O imparcialismo se deu início em 2008 ano de acontecimentos históricos, como a chegada de um cidadão negro ao poder nos Estados unidos, e a teoria sobre o aquecimento global que levou ao reconhecimento da destruição do planeta pelo homem moderno, e seus duzentos anos de exploração dos recursos naturais. Apartir desse ano é possivel e aconteça mudança significativa na maneira como olhamos o planeta e seus recursos naturais, nossa condição de ser humano e nosso olhar sobre nós mesmos, sobre a sociedade e o individuo. Talvez assim aconteça um novo periodo, em que o equilíbrio está acima de tudo, ai então será decretado o fim do modernismo, apesar de eu acreditar que é mais fácil o planeta decretar o nosso fim.Em quanto isso, está aqui o Imparcialismo como uma possibilidade de renovação literária. O imparcialismo é escrito sobre um novo contexto, porém incapaz de decretar o fim do Modernismo porque esse novo contexto sobre do qual o Imparcialismo é criado, é fruto do modernismo e do entorpecimento humano, da sociedade do prazer ainda iludidas com a modernidade tecnologica, científica e ilusão de progresso, como seres humanos e criadores de um novo mundo.O modernismo se tornou um processo mecânico rumo a autodestruição, e o Imparcialismo o jornalismo literário que registra, relata, constata e observa o fim, ainda não sei para que esse imparcialismo que se parece com o suicida narrando sua própria morte. É patético, mas é assim que eu me encontro comigo mesmo.

J.Nunez

O IMPARCIALISMO

 

Conscientização Indústrial: Uma visão holística da vida e dos negócios

A literatura contemporânea busca a leitura do homem e seu tempo. Para representar essa nova realidade e esse novo olhar sobre a indústria, o poeta Imparcialista Cícero Fernández busca representar essa parcela da sociedade pós-ilusão modernista, industrial e tecnológica. Esse poeta busca o equilíbrio e a harmonia entre a industrialização a natureza destruída por esses duzentos anos de exploração dos recursos naturais, o equilíbrio entre a família e o trabalho, a liberdade sexual e outras liberdades e a decência, entre o corpo físico e nossa condição biológica e primitiva que sua nós fazem de vitimas da natureza e todo tipo de poluição moderna, entre o sexo e o amor, a saúde e essa loucura da vida contemporânea, o consumismo e o essencial, essa busca de equilíbrio e harmonia entre a nossa vida interior e exterior e muitas outras buscas de equilíbrio e harmonia. Essa busca por equilíbrio os Poetas Imparcialistas denominaram de Bucolismo Urbano que é refletido no poema abaixo: Visões Holísticas.



Visões Holísticas


O sol que desce por de trás das residências populares
Harmoniosas e enfileiradas, projetadas e justas...
Esse sol que cai por de trás dessas casas
Deixa sua luz de fim de tarde sobre as sementes
No topo dos capins que nasce a beira das calçadas.
A cor lindamente rosada que de longe desvulgarizam
As sementeiras do capim que nasceu
Nas rachaduras das calçadas.
Ande duas quadras mais numa manhã de domingo,
Numa manhã em que o ainda pensa
Em apontar sua cara para um novo dia,
Em uma dessas manhãs vá até a Praça José Hermógenes
E sinta o vento, a natureza, a rotação da terra e da lua,
O vôo dos pássaros o balanço do mar,
Em fim, o seio desse universo que respira,
Tudo nos movimentos harmoniosas do Tai Chi Chuan.
Hoje é meu dia de índio, aos sábados e domingos eu sou índio,
Eu sou biologicamente um pouco índio,
Não só pelo fato de ser um Brasileiro naturalmente mestiço,
Mas também pelo fato de eu ser holístico
E respirar com o mesmo pulmão do universo,
Amanhã é segunda feira, vou para o trabalho com
Essa minha visão holística empresarial,
Assim eu sou atemporal holístico.

Cícero Fernández
J.Nunez

http://literaturaimparcialista.blogspot.com/2010/06/visao-holistica-de-empresa-e-negocios.html

Lançamento Oficial de O Imparcialismo

LANÇAMENTO

Comecei a escrever o Imparcialismo a um ano e pouco, meu próposito desde quando comecei não mudou muito, em alguns pontos as idéias iniciais permaceram.
Comecei a vê-lo no curso de letras, porém o Imparcialismo não marca o início de minha escrita, escrevo a quase vinte anos. O Imparcialismo é na verdade resultado desses anos de escrita. No dia treze de novembro, dia do nascimento de minha filha, eu já havia estruturado o imparcialismo a maneira que está agora.
Ontem dia 14 de fevereiro de 2010 publiquei o Manifesto Imparcialista, o seu contexto literário, suas caracteristicas e sua temática.
O respeito ao ser humano, sua dignidade, sua consciência, sua própria condição de humano e a leitura de sua realidade exterior e interior, é a maior ambição de O Imparcialismo.
O objetivo desses publicações é tornar público essa nova possibilidade no campo das artes e da literatura. Fica em mim o desejo de que esse estudo seja muito bem aproveitado por todos os amantes da Arte.

Convido a todos os Amantes da Literatura e das artes em geral a conhecer O Imparcialismo.

J.Nunez

quarta-feira, 9 de junho de 2010

Vítimas da Guerra do Sexo

Antes bastava abrir portas, trazer flores, beijar suas mãos,
Elogiar sua beleza, trazer presentes e chamadas de madame.
Mas agora que nós somos modernas, e elas são independentes em tudo,
Menos no fato de que precisam de alguma maneira de nós para fazer filhos,
No mais, não precisam de nós e a igualdade sexual é foi conquistada,
Elas querem tudo isso, que mencionei a cima, mas querem muito mais,
Querem que eu lave, que eu passe, que eu cozinhe, que eu seja bem sucedido,
Que eu seja um amante viril, amante sem ejaculação precoce,
Que eu tenha barriga tanquinho, que eu seja delicado como uma menina,
E bruto, às vezes, como um matuto,
Elas querem que eu traga flores,
Que eu aceite em ser só mais um,
Que eu fique a seu dispor, que eu entenda que ela é mulher moderna,
Elas querem que eu lhe dê um filho, mas não quer que eu seja o pai,
Elas me querem para uma noite de prazer,
Para um momento de descontração e álcool na cabeça,
Elas querem ser a mãe exemplar
E a doida que volta para casa quando bem entender,
Elas me querem amante fiel, elas me querem marido corno e fiel,
Elas querem o homem abaixo delas socialmente e culturalmente,
Elas querem que eu seja exibível,
Elas querem ser a beldade da tv,
A beldade magrela e com o rosto rebocado,
Elas me querem homem submisso,
elas me querem homem sem dignidade de homem,
Sem virtudes de homem, sem caráter de homem, sem moral de homem,
Elas me querem homem como foi seu pai e seu avó,
Homem sério e pai de seus filhos, o homem com todo os atributos de homem,
Homem que seja capaz de sustentar a casa,
Patriarca capaz de fazer gerações de homens e mulheres superiores,
Elas me querem homem com todas as virtudes primitivas de homem
E com toda a desconfiguração o do homem moderno, metrossexual.
Na essência, elas são as mesmas que sempre foram,
Porém mescladas com essas e idéias e
Essa atitudes redículas de nosso tempo, portanto muito mais confusas.
Nós homens são somos vítimas como parece,
Somos na verdade responsáveis por nossa condição,
À verdade é que chafurdamos nessa liberdade sexual conquistada pela mulher,
Elas lutaram por essa liberdade sexual que tanto almejávamos,
E que agora faz todos nós homens e mulheres vítimas de nós mesmos.
Chafurdamos no sexo e perdemos a motivação para a conquista,
Já que o sexo era o nosso céu almejado, não há mais céu para o homem
Quando uma mulher não pensa nem sente nada, apenas abre as pernas e pronto.
Somos também muito confusos, somos o resultado das conquistas da mulher,
O poder da mulher tornou o homem submisso,
E o reflexo disso é o homem metrossexual
Que é um tipo de homem submisso aos caprichos da mulher
Resultado do poder dessa mulher,
Ou é resultado de sua própria confusão sexual.
Não somos vítimas, somos na verdade responsáveis
Por esse desencontro do ser humano,
Queremos as mulheres esposa com função de meretriz,
Meretriz com função de esposa,
Queremos meninas virgens com flores no cabelo,
Queremos mulheres fatais que nos Sustente,
Queremos esposa adorável,
Queremos mulher independente socialmente,
Queremos amante submissas aos nossos caprichos sexuais,
Queremos filhos e família, Queremos ser o patriarca,
O senhor, quanto não passamos de bêbados
Que só sabe falar de Futebol e da mulher dos outros,
Queremos sair dessa desgraça,
Mas nunca compramos um livro,
Quanto compramos qualquer coisa parecida com um livro
É a última revista da playboy.
Qual o maior símbolo do poder e da liberdade da mulher
E da imitação que a mulher faz do homem se não o clube das mulheres.
Somos desmotivados, perdidos e vítimas do sexo fácil e casual,
Somos vítimas da Modernidade que inventamos,
Somos vítimas da industrialização que inventamos.
Você já ouviu hoje algum homem fatalista,
Isso faz parte do instinto mais primitivo do Homem,
Matar a família porque esta sem a sua dignidade de homem.
Somos vítimas da guerra do sexo
Que foi patrocinada e impulsionada pela industrialização.


J.Nunez

Aos Discípulos de Nietzsche

Se você veio até aqui, pelos mesmos caminhos que passei,
Certamente você viu...
As cruzes e as encruzilhadas onde morri um pouco a cada dia.
Certamente você viu...
Onde caminhei altivo, onde me arrastei feito
Um soldado ferido sangrando.
Certamente você viu...
A árvore, a sombra onde parei para descansar.
Certamente você viu...
Formarem no céu, nuvens baixas e negras,
Prenunciando à tempestade e relâmpagos
De descobrimentos clarearem à face oculta de tua mente.
Certamente você ouviu...
No deserto, o ruivo de cães famintos
E de corvos insaciáveis de carniça humana.
Certamente você viu...
As ruínas do templo, os desertos de sal
E a solidão tempestuosa dos mares.
Certamente você passou
Pela noite de seduções de demônios fornicários.
Certamente você viu...
As asas do cavalo dragão, a visão do paraíso
E os símbolos oníricos.
Certamente você viu...
Humanos largados aos vermes
Ossadas largadas à terra e as pegadas do mestre.
Certamente você perdeu e encontrou,
E voltou a perder os companheiros à caminho.
Certamente você viu...
Que a vida e a matéria são miragem,
E que o espectral é sólido.
Certamente você viu o horizonte rasgado,
E para além do explicável o angustiante caminho sem fim.
Certamente você viu
A oxidação da matéria aqui dentro da eternidade.
Certamente você me vê
A caminho sangrando.

Jonas Corrêa Martins
J.Nunez

J.Nunez

04/04/06

terça-feira, 8 de junho de 2010

Publicações literárias

A Internet não só esta suprindo o espaço que a poesia e a literatura perdeu em revistas, jornais e outras mídias como também representa um avanço gigantesco quando se trata de divulgação. Muito dos escritores e poetas que usam a Internet queixam que essa democratização do acesso que a Internet possui, acabou por ocultar talentos em um oceano de texto que nada têm de original, por essas razão o objetivo de Poetas Virtuais é buscar na poesia on-line o que há de original, significativo e representativo para o nosso tempo. Para iniciar o Poetas Virtuais, Abdias de Carvalho com um poema imprevisível e com uma temática e uma visão do amor um tanto original que revela muito sobre esse tempo de amores objetos.


Abdias de Carvalho poeta da estagnação, da poeira assentada, da falta de perspectiva, da baixeza moral, da atrofia, da revolta calada, do silêncio dos excluídos, da ruminação furiosa e secreta, da repugnação, da repetição angustiante, da falta de oportunidades, da linguagem repugnante, esse poeta representa o abandono, o deixar se onde está. Neste poeta não há incertezas, e sim eterna imobilidade.



Ralo

Por onde você entrou na minha vida?...
Pela porta do fundo,
Pela janela do quarto,
Pelo cano de esgoto,
Pela chaminé que não há,
Pelo sistema hidráulico,
Pela bactéria deste surto,
Pela tubulação de ar,
Pelos orifícios do corpo,
Pelo beijo sufocante,
Pelo vício que alimento,
Pelo sorriso que dou de graça,
Pelos tragos de absinto,
Pela carta sem remetente,
Pela conversa de amigo,
Pelo ombro que empresto,
Pelo ato de compaixão,
Pelo acaso do destino,
Pelo meu corpo largado á paixão,
Pelo olhar contagioso,
Pela parede que transpasso,
Pela música que não sei dançar...
Por onde você saiu da minha vida?
Pelo ralo do banheiro,
Pelo saco de lixo,
Pelo contraveneno,
Pelo cano de esgoto,
Pela porta da frente,
Pela saída secreta,
Pelo túnel de fuga,
Pela perda do mistério,
Pela hemorragia que não para,
Por outra secreção,
Pela rotina sufocante,
Pelo aguaceiro deste dia chuvoso,
Pelo sentimento libertino,
Pela purgação de um tumor,
Pela ferida que não cura,
Pelo olhar que não tenho,
Pela vida que não levo,
Pelos orifícios da derme,
Pelo tédio de sermos dois,
Por lágrima ressentida,
Pela parede que transpasso...


Abdias de Carvalho

J.Nunez

Visão holística de empresa e negócios









Visões holísticas da vida \ Cícero Fernández

J.Nunez convida os empresários(as),

Homens de mulheres de negócio estudante de administração e outros para que conheça o poeta Cícero Fernández, esse poeta representa o homem contemporâneo em busca do equilíbrio entre sua vida particular e o trabalho, entre a natureza e a industrialização, esse poeta representa esse homem contemporâneo buscando o equilíbrio e a harmonia em todos os setores da vida. É poeta de geração industrial, sua visão holística da vida e do trabalho é realmente muito produtiva para esse tempo em que buscamos a harmonia e o equilíbrio. Esse poeta não faz criticas improdutivas, mas sim busca mostrar nos um possivel caminho.



MOVIMENTO LITERÁRIO IMPARCIALISMO

J.Nunez

Mulheres Poderosas

Há muitas formas de mentiras, porém a mentira
Clássica acontece entre os sexos.
Os homens mentem sabendo que mentem,
As mulheres sabem que são mentiras,
Mas preferem acreditar, e assim todo mundo ganha;
Os homens e mulheres atingem seus objetivos.
As mulheres fazem que acreditam porque elas
Precisam mais de ilusões que os homens,
Por isso elas se pintam, contudo o poder das mulheres
É muito mais real que o poder dos homens,
Isso porque o poder da mulher está mais em seu corpo
E em sua condição de ser mulher com todos atributos,
Enquanto que o poder do homem
Está em boa porcentagem em sua condição social,
E um pouco no que ele é como pessoa.
Não importa o sexo, ambos são demasiadamente idealista no amor,
Ambos possuem um ideal de homem e um ideal de mulher,
Esse ideal está sujeito a condição social
E cultural e a idade em ambos os sexos.
Os menos inocentes, os que não são virgens na alma
Sabem que o ideal é apenas uma idéia sobre qualquer coisa
E a idéia na vida pratica não se conclui como o ideal,
Porque na vida pratica há muitas outras leis
Alem de nosso egoísmo e caprichos interiores.
Certamente as mulheres, se não odiarem os meus poemas para gente suja,
Elas ao menos não gostaram, e acho natural que seja assim,
Afinal esses poemas desbotam a vida, destruí a ilusão
Só para deixar um descampado que me leva rumo a mim mesmo.
O fato de a mulher possuir o seu poder real e corpóreo
As torna um pouco mais ressabiadas com as verdades.
Se o poder do homem está fora de si mesmo,
O homem tem a opção de tornar se poderoso no autodomínio
E na emancipação de sua alma
E isso inclui o que parece impossível,
Suportar a sedução dos corpos femininos.
A verdade é que os homens que são estimulados visualmente,
Estão sendo esganados pelas mentiras
Que elas contam com seus corpos, que são o seu o próprio ideal de corpo,
Quando saem em revistas que os homem compram para se (interterem)
E se auto enganarem porque sabem que os corpos depois que se inventou
Os recursos para configurar imagens às mulheres são as mesmas
Que são em realidade, elas atingiram o seu ideal de auto imagem.
Onde esta o direito do consumidor para esses homens enganados pelo fotoshop.
A nudez é obra de arte, a sua nudez seria obra de arte,
A minha estou certo seria uma aberração,
Estão será que não existe nu artísticos e são apenas corpos lindos e outros atributos.
O carnaval é cultura, se é cultura essa cultura está sujeita aos corpos das mulheres,
Se é o maior espetáculo da terra ele é feito com corpos de mulheres.
Qual homem escuta uma historia cantada
Enquanto mulatas, morenas, loiras e até asiáticas requebrar.
(Poderia falar mais; não vou me empolgar)
O que eu sei é que o carnaval é edificante, deixa bem ereto,
Mas depois inevitavelmente amolece.
Esse poder que a mulher tem em si mesma é dado pelo homen
Que fica entorpecidos com a nudez e a delicadeza em seus corpos,
Do mesmo modo o poder do homem é dado pela mulher
Que admira é deseja homens capazes que dar lhes tudo que merecem,
Afinal, elas são o maior e mais desejado tesouro que a terra possui,
No fim das contas às conquistas dos homens se resume nas mulheres ou na mulher.
Não vou esquecer das mulheres poderosas não só pelo fato de ser mulheres,
Mas também pelo fato de serem socialmente bem sucedidas,
Essas mulheres podem até comprar o sexo
E disserem que são felizes iguais aos homens que comprar o sexo,
Mas a verdade é que mesmo nos homens essa condição de liberdade
Se prolongada até a velhice, deixará neles uma frustração por muitos motivos.
Será que nas mulheres poderosas socialmente e livre sexualmente
Essa sensação de frustração não é rápida que nos homens,
Afinal elas são pressas a sua própria condição de ser mulheres.
Posso considerar que essas mulheres poderosas socialmente
E que gozam as mesmas liberdades do homem
Sejam parte da estruturação de uma nova sociedades
E de um novo formado de família, porém não posso desconsiderar
O que estou vendo; que são homens é mulheres desencontrados em si mesmos
E um para com o outro.
É claro que no passado à relação entre os sexos não foi exemplar,
O que se constada é que essa relação piorou muito,
Um exemplo disso são as reportagens que quase todo dia
Fala de um homem que matou sua mulher ou ex mulher
Porque não suportou a separação,
Será que os homens não suportam a separação,
Ou não suportam o fato de as mulheres terem se tornado
Emancipadas e poderosas socialmente
E precisam muito pouco de seu poder real
Que é o poder de seu corpo e de sua delicadeza que entorpece todos os homens.
O homem se torna desmotivado
Quando o seu maior estimulo para ir a luta que, é o sexo
Se tornou algo que as mulher compram ou se dão ao luxo de dispensar
Ou praticar quando bem intentem, e a sua maneira.
Nos que somos entorpecidos pelo sexo
Ficamos aqui parados olhando a liberdade que a mulher se dá,
Liberdade essa que nos desestimula
Porque para nos homens não há nesse sexo
O valor da conquista e da guerra.
Nós estamos entorpecidos se sexo fácil...
Esse que erra nossa razão de viver, lutar e vencer.
Não sei e estou certo no que digo,
O que sei é que quando eu falo de desilusões
Abro um descampado rumo a mim mesmo
E esse é meu único propósito

J.Nunez

Parque Indústria Alameda dos Ipês

Parque Indústria Alameda dos Ipês

O cheiro dessa manhã de outono ainda está no ar,
O sol ainda não aqueceu o dia,
E ainda são poucos os motores pelas ruas da cidade.
Dentro de casa, minha família com tantas outras
Se apronta para mais um dia de trabalho e estudo.
Aqui em casa é lei: Um dia começa com um bom dia
E um sorriso de compromisso coletivo e família...
Hoje é meu dia de ir a pé para o trabalho,
Aprecio o parque indústria na Alameda dos ipês,
E o bosque co2 criado pelas indústrias da cidade.
As ruas foram ornamentadas de flores,
Caídas com a chuva fina que trouxe essa brisa
Para essa manhã de um dia de maio,
Os passarinhos enceram seus cantos das primeiras horas do dia.
No final da alameda dos ipês, os idosos conservam a vitalidade
Na academia de ginástica ao ar livre,
Conservam o sorriso e a amizade que desconhece solidão.
Lembrei daquele verso do poeta Francisco Medeiros:
“Através da natureza, Deus nos sorri todas as as manhãs”
Quero viver esse dia naturalmente
E tão ocasional quanto são os dias de chuva ou sol.

Cícero Fernández

J.Nunez

MOVIMENTO LITÉRARIO IMPARCIALISMO

A poesia do poeta Imparcialista representa a sociedade contemporânea em busca do equlibrio entre a natureza e a industria, entre a exploração e a conservação do meio ambiente....

Meu capitalismo e meu socialismo não foram aprendidos em livros...

Meu capitalismo e meu socialismo não foram aprendidos em livros, meu materialismo e meu socialismo são feito de meu próprio suor e sangue. Quem entende mais de industrialização e exploração que um operário que sente na pele toda essa conversa fiada de capitalismo e socialismo, que tem seus braços, suas pernas e toda a sua capacidade motora empregada durante quase nove horas num movimento continuou e sem interrupção e com contador de produção lhe dedurando toda hora, e ainda relatórios que fazem um histórico de seu desempenho todos as horas e todos os dias.
Quem entende mais de materialismo dialético e histórico que eu que vejo profissionais sabotando o trabalho do outro, a competitividade que foge a todo o senso de justiça e consideração humana, trabalhadores de chão de fábrica, patrões e superiores vendo suas famílias sendo destruída e seus filhos sem devorados pelo abandono e a falta que eles fazem na condição de pais, a presença, a influência e educação terceirizada de seus filhos que são recompensadas com presentes que acaba de estragar ainda mais seus filhos, que não possuem alma, e são criados para formar a sociedade do consumo e pronto, e o seu desempenho sexual e amorosa que é totalmente comprometido pela falta de tempo e energia, a desestruturação da família que é compensada pelo sexo fácil e pago, a nossa ilusão de progresso materialista só não é maior que a nossa ilusão de progresso com seres possuidores de alma e corpo físico, o nossa desajuste com a vida, nossa incapacidade de aceitar a morte e a vida, nossas teorizações que nada explica, apenas tentam nos dignificar, nossos produtos que tomam o lugar da filosofia, da verdade, da amizade, da ética, da moral, da espiritualidade e de Deus, a e estatística forjada na mentira que na encobre a realidade que vemos nas ruas, a revolta dos oprimidos preste a desmascarar toda essas mentiras, essa mentira são baseada no abandono dos fracos e excluídos que são ignorados nas estatísticas e fica a sensação de que o país vai muito bem.
Não há fraco e oprimido que são seja capazes de uma revolução; é entre eles que nasce a revolta revolução, e assim se faz a eterna rotatividade no poder...
Eu sou máquina petulante e ridícula que suspeita que foi criada...
Eu sou a máquina movida a sangue ralo e alma perdida,
Eu sou a máquina que foge do programa, a máquina defeituosa porque pensa e sente,
Eu sou a máquina que deve ser substituída sempre que possível por outra máquina, de preferência por outra que não pensa, seja ela humana ou não,
Eu sou a máquina com um defeito gravíssimo porque sou desgasto e são se pode fazer qualquer tipo de manutenção, seja ela preventiva ou conserto,
Eu sou a máquina descartável,
Eu sou a máquina furiosa que manipula o tempo e a ordem das coisas,
Eu sou a máquina que questionam, reclama e lamenta...
Sou o operário chão de fábrica, trabalho para agregar valor... E agregar é trabalhar sem pensar, em falar sem ir ao banheiro, beber água o menos possível, sem questionar, sem querer revolucionar, sem olhar nos olhos dos superiores... falar com o patrão, sem pedir nada, sem ficar doente, sem faltar, sem dizer não...
Agregar valor desumaniza os trabalhadores de chão de fabrica feito eu, desumaniza os que podem se referir a mim com essa expressão grosseira e preconceituosa...
A indústria é desumanizadora por si só...
Desumanizou o operário chão de fábrica, Desumanizou os do topo dessa pirâmide, ou melhor, Torre de Babel... Desumaniza patrões, Desumaniza filhos de patrões, esposas de patrões...
Com industrialização perdemos a consciência, a vida, a sinceridade, a capacidade de elogio e reconhecer (somos todos mais o menos inimigos), a alma, os filhos, a saúde, o planeta, as faculdades anímicas, a fé verdadeira, a humanidade, o senso de coletividade,
A consideração humana, a visão holística do mundo, a filosofia verdadeira, o conhecimento objetivo e direto, a introspecção, a paz interior, a tranqüilidade bucólica da vida, a apreciação do homem e da natureza, a ligação direta com o impalpável, a verdade das ações, tudo é falso e manipulado pelo desejo de lucro... Inclusive as religião...
Quem é a vítima? _ Eu, o chão de fábrica, ou a humanidade inteira ao pé desse abismo e de uma catástrofe social e ambiental.
Em resumo: J.Nunez é apenas vítima e fracassado!
E quem não?
Quem não é fracassado? Essa frase massageia meu orgulho... E me alivia e muito...
É natural que qualquer sujo e fracassado queira ver fracasso e sujeira em tudo,
Porque essa generalização faz com que não nos sentimos tão inferiores...
Não importa o quanto o socialismo, o capitalismo, a industrialização e os avanços tecnológicos e cientifico tem beneficiado alguns indivíduos; nada pode reparar a destruição do planeta, a extinção de vidas e a perda de nossas almas e de nossa consciência, se olhamos desse ponto de vista somos todas vítimas da modernidade.

Salomão Alcantra

J.Nunez

A vida é feita de amor e amizade...

O Patriarca

Não tenho rompantes de amor,
Meu amor é lento e forte feito boi de carro,
Não tenho amizades repentinas e volúveis,
Sou fiel como um guerreiros samurai.
Não me peça para ter ilusões ou sonhos,
Sou linear feito a flecha apontada para o alvo,
Sou linear feito a flecha,
E não importa se o meu caminho para o alvo seja curvo.
Minhas palavras não vão por ai ao sabor do vento,
Minhas palavras são pesadas, medidas e avaliadas.
Minhas palavras não são tagarelices tolas,
Minhas palavras têm o poder de matar e fazer viver.
Meu amor não é feito em uma noite de ilusões
Meu amor é sólido, certo e patriarcal.
Não sou daqueles companheiros de estrada
Que sente medo e retorna no caminho,
Meu código de amizade é muito simples:
Ou você está comigo ou não está comigo,
Se vier comigo é para o que der e vier.
Não tenho malabarismo na palavra
E nem a flexibilidade do homem de negócio
Eu sou de princípios e de verdades intocáveis.
Eu posso até perdoar uma infidelidade,
Mas eu sei que depois de uma traição
o amor e a amizade são rosas sem pétalas.

Saturnino Queiros
J.Nunez

J.Nunez poeta criador do Imparcialismo


José Nunes Pereira

Poeta formado em letras, escreve em vários sites na internet, possui algumas poesia publicadas em livros, participou de alguns eventos culturais na cidade de Marília onde reside e trabalha com comerciante e professor. Na literatura, atualmente se dedica a escrever uma poesia que faça a leitura do homem contemporâneo, essa poesia é chamada de O Imparcialismo: Poesia Para o Novo Contexto.
Entre muitas características ressalto que O Imparcialismo é escrito por dezessete poetas ou dezessete  pseudônimos; para que assim torne possível criar um Movimento Literário e a diferenciação de suas mais variadas tendências e estilo literário, outras características marcantes nessas literatura é a Métrica Imparcialista, os temas, o vocabulário atualizado, o engajamento na construção da literatura que faça a leitura do homem moderno e o seu Cronopoema, que é o fazer literário tendo como base os acontecimentos do dia, a estética desse estilo é formada de poema, prosa, conto, crônica e jornalismo.
O imparcialismo não faz críticas, e sim relatos, leituras da realidade e constatações imparciais dessa realidade; esse conceito de imparcialidade é apropriado a nossa Era da Informação.O Imparcialismo é a literatura para esse tempo de globalização, multiculturalismo, democratização do conhecimento, acesso a notícia , mudanças climáticas, Era da Informação, emancipação da mulher, formação de uma geração com muito conhecimento tecnológico e pouco alma e pouco coração, mudanças econômicas, degeneração e regeneração do homem contemporâneo, tempo de preocupações individuais e coletiva etc.
Podemos notar na literatura imparcialista conceitos de possibilismo social, bucolismo urbano, novos padrões na psicologia do homem moderno, novo comportamento social da mulher emancipada, novos conflitos íntimos que brotam nesse homem novo em que o homem velho e tradicional persiste como uma necessidades auto-afirmação.
Para ser leitor desses poetas é necessário apenas buscar na internet o nome do autor de O Imparcialismo: J.Nunez poeta, poesia imparcialista, o imparcialismo, poesia para o novo contexto ou ainda os imparcialistas.
Agora que o Movimento Imparcialista está estruturado J.Nunez convida a todos os poetas dessa aldeia global para a criação do Movimento Literário o Imparcialismo Livre. Se faz necessário a criação dessa nova possibilidade na literátura, isso porque o movimento Literário o Imparcialismo é fechado em si mesmo.

J.Nunez

J. Núñez

Poeta graduado en las letras, escribe en varios sitios en la Internet, tiene algunos poemas publicados en libros, participó en algunos eventos culturales en la ciudad de Marília – SP Brasil, donde vive y trabaja como profesor y comerciante.
En la literatura, actualmente ocupada en escribir una literatura que hace la lectura del hombre contemporáneo, esta poesía es llamada El Imparcialismo: Lieratura para el nuevo contexto.
Entre las muchas caracteristicas del imparcialismo, destaco que son escritos por decisiete  poetas o seudónimos, de modo que hace posible la creación de un movimiento literario y la diferenciación de sus diversas tendencias y el estilo literario, otras características notables de la literatura es la métrica imparcialista, de las temas, la el vocabulario actualizado, la participación en el desarrollo de la literatura que hace que la lectura del hombre moderno y su Cronopoema, que es o hacer literario que tiene como base de los acontecimientos del día, la estética de este estilo consiste en un poema, prosa, cuentos, periodismo y crónica.
El imparcialismo no hace crítica, y sin relatos, las lecturas de la realidad y las conclusiones imparciales de la realidad, este concepto de equidad es adecuada a nuestra época de la information.
El imparcialismo es la literatura para esta época de globalización, el multiculturalismo, la democratización del conocimiento, el acceso a noticia, el aquecimiento climático, la era de la información, emancipación de las mujeres, la formación de una generación con mucho conocimiento técnologico y poco de corazón y el alma, las crisis económicas, la degeneración y regeneración del hombre moderno, el tiempo de las preocupaciones individuales y colectivas.
Podemos observar en la literatura imparcialista conceptos de posibilismo social, bucólica urbano, los nuevos padrones en la psicología del hombre moderno, nuevas conductas sociales de la mujer emancipada, los nuevos conflictos internos que surgen en este nuevo hombre cuando el viejo hombre y tradicional sigue siendo una necesita de autoafirmación.
Para ser lector de estos poetas, sólo es necesario conectarse a Internet con el nombre del autor de El poeta J. Núñez el imparcialismo, la poesía, la imparcialidad, la equidad, la poesía para el nuevo contexto y los imparcialistas.

J. Núñez

segunda-feira, 7 de junho de 2010

O Multiculturalismo

Não farei poemas épicos sobre nós,
Não cantarei nosso progresso tecnológico
Mesmo sendo ele fruto da genialidade humana
Dentro do processo mecânico de pensar e existir.
Caminhamos para a autodestruição
Esse fato nos tornam suicidas e fatalistas.
Todo mundo há de concordar comigo
Que somos suicidas geniais.
Evoluímos sim, mesmo que de maneira mecânica,
Só nos faltou o equilíbrio budista
Em nosso progresso estimulado pelo cristianismo,
Sim, o cristianismo que impediu também estimulou,
De certo modo devemos a ele o atraso em nossa autodestruição.
Agora que o mundo caminha para uma multiculturalidade
E tudo é em parte verdade e em parte mentira
E tudo é apenas teoria, cultura e conhecimento,
Quem sabe agora nos tornamos cristão budista.
Atrás desse multiculturalismo onde fica a fé e a verdade absoluta!
Só um gnóstico pode suportar o multiculturalismo.
Apesar de essa globalização levar o mundo a uma tolerância,
Rompe nossa ligação afetuosa com o conhecimento e a tradição.
Já não basta termos perdido o coração e a alma
Dentro do consumismo, do capitalismo e do progresso tecnológico,
Estamos perdidos, mas ainda sabemos os caminhos,
Porque ainda temos um chão chamado passado histórico
Onde esta plantada a nossa origem através da qual sabemos sobre nós mesmos.
Todos nos temos que ter uma origem, um lugar
Para que possamos partir e se dar ao luxo e o direito de voltar
Se acaso nós estivermos errados.
Culturalmente e na busca do conhecimento somos de certo modo
Eternos adolescentes que se enganam que acertam e se auto afirmam como gente.
Talvez o multiculturalismo sirva apenas a seres iguais a Melquisedequi,
Esse que não deve antecedente e nem descendente.
A verdade é que o multiculturalismo é útil apenas ao capitalismo
Que reduziu a cultura e o conhecimento em consumismo.
Concordo plenamente com um conhecimento universal,
Desde que esse conhecimento não esteja ligado a idéias capitalistas.
O multiculturalismo pode ser apenas fruto de nossa era da informação
E conseqüência de nossa aptidão individual pelo conhecimento.
Não farei poemas épicos sobre nós
Que estamos rumo ao precipício ambiental,
Porém não posso ignorar a inteligência e a genialidade
Da civilização na qual estamos inseridos,
Quando sabemos que nesse mundo ainda há seres humanos,
Em algum lugar da terra, vivendo na idade paleolítica
E conosco caminham inocentemente rumo à autodestruição.
Me dou ao luxo de ser contraditório, e afirma agora
Com ressalvas, o que antes afirmava como verdade inflexível.


J.Nunez O IMPARCIALISMO

Fertilidade

Fertilidade

Diz à lenda que as estrelas
Foram feitas da ejaculação de um deus,
Mas os deus não ejaculam,
Gozam de eternidade e não ejaculam.
Os deuses se consomem em si
Feito o dragão que come a própria calda.
Um deus é abismos com fome
De profundezas e eternidade.
Um deus é fogo que se consome.
Se eu fosse um deles
Existiria tanto...que agonizaria de existir.
Os deuses não ejaculam,
 Estão tudo se cria
Porque tudo mais ejacula
E navega no vento, vai nas asas de um morcego
Ou de um passarinho
E viajam no tempo e no espaço
Sem conceito de pecado capital,
Fornicação e adultério.

Josias Maciel
J.Nunez


Poeta José Nunes Pereira 

O Imparcialismo

CONHEÇA A NOVA LITERATURA BRASILEIRA
http://literaturaimparcialista.blogspot.com

Musas da beleza e famosas em dias de carnaval

Uma famosa, dessas que só é musa e famosa no carnaval
Foi levada à justiça porque um rapaz que acabou de sair da puberdade
Comprou uma revista em que essa famosa, que é famosa nos quatro dias de carnaval,
Está fazendo o famoso nu artístico,
Porém o rapaz que por sinal e por incrível que pareça é virgem,
Contudo versadissimo em computadores,
Desfez todos os recursos que o computador coloca nas mulheres de revista,
Depois desse feito extraordinário a famosa em dias de carnaval,
Ficou um pouco parecida com sua avó materna,
O rapaz ficou desiludido como se fosse a primeira traição de sua vida,
Depois ele acostumou, no entanto a traição da famosa
Em dias e carnaval não ficou barato,
O rapazinho contou tudo para a mamãe,
A mãe ficou furiosa... como era de se esperar,
Ela esbravejou bastante e decidiu procurar o direito do consumidor,
Afinal, ela tem toda razão... Como pode seu filhinho ainda virgem
Ser enganado por essa superficial ou artificial.
No tribunal a famosa que é famosa só no carnaval negou tudo!...
O que é natural, alguma coisa tem que ser natural...
O juiz disse _ a senhorita (oh senhorita!) está sendo acusada de ser inteirinha falsa,
O advogado de defesa interveio _Meritíssimo,
Minha cliente pode ser falsa na personalidade, mas no corpo não!
O juiz continuou:
_ A senhorita pode nos dizer quais dessas cirurgias a senhorita realizou.
Estão o juiz passou uma lista das cirurgias que ele conhece
Porque sua esposa já realizou algumas delas.
A senhorita já realizou rinoplastia, blefaroplastia,
Lipoaspiração, ritidoplastia, mamoplastia
Otoplastia, botox, durepox, fotoshop, abnominoplastia, himenoplastia,
Drenagem linfática, silicone e outras que desconheço.
Nego, nego até a morte, tudo que eu tenho foi consegui com meu Suor e meu dinheiro, isso é uma difamação, um calunia...
Disse furiosa a famosa em dias de carnaval.
Mas o juiz que sabe tudo de cirurgia plástica não entrou na dela,
E ordenou que ela pagasse ali mesmo os nove reais e trinta centavos
Que o rapaz gastou para comprar a revista de nu artística.
Ela sai do tribunal morrendo de medo de que outros consumidores
Que se sentirem lesados entrarem na justiça pedindo o dinheiro de volta...
Que é justo!
Eu pessoalmente prefiro as mulheres de Renoir,
Mas quem disse que as mulheres se cuidam para os homens,
Elas se cuidam para as outras mulheres,
É uma espécie de orgulho e vaidade feminina.
Esse cronopoema é a informação da desinformação,
A notícia que não é notícia, muito mais comum em dias de carnaval.
Agora vamos a notícia:
“Homem mata esposa porque foi traído com o chefe de sua filha,
Que também andou pegando sua filha.”
Onde esse mundo vai parar, como é que os homens suportaram
Tanta falta de dignidade, humilhação e destruição de sua família.


Salomão Alcantra

J.Nunez

Cronopoema é o fazer literário tendo como base os acontecimentos do dia, a estética desse estilo é formada de poema, prosa, conto, crônica e jornalismo.
O imparcialismo não faz críticas, e sim relatos, leituras da realidade e constatações imparciais dessa realidade; esse conceito de imparcialidade é apropriado a nossa Era da Informação.

Poema para o nascimento de minha filha

Poema para o nascimento de minha filha Allana

Amor Incondicional

Depois que você nasceu,
Sou este que desconheço,
Este que tem esperança
E fé na humanidade.
Pode até parecer estranha
Estas palavras de pai,
Mas selo nestes versos,
Liberdade e amor incondicional,
Não direi para onde
Deves caminhar teus passos,
Mas pode estar certa
Que estarei te acompanhando,
Aqui, bem de pertinho...
Como se você ainda,
Nunca, aprendesse a caminhar.
Sim!...Eu compreender perfeitamente...
Como qualquer outra pessoa
Você tem sua individualidade,
Tem sonhos e virtudes
Que não são meus,
Por isso te confesso,
Alerto-te com ciúmes:
Outros podem até influenciar
O teu caminho ainda
Mais que eu pude,
Porém jamais poderão amar
Como eu te amo!
Mais que ponto referencial;
Exemplo, lição de vida...
Selo aqui destes versos,
Que não te ensinarei
O caminho da verdade
Não com palavras ocas,
Mas com exemplo, vida...

VERDADE CADA QUAL TEM A SUA.

Meus acertos minhas verdades
Pode não te servir,
Verdade é coisa pessoal,
É trecho do caminho,
É coisa que se perde
E se encontra novamente,
É um caminho solitário,
Às vezes um conforto
Uma mentira muito boa
Para contar e ouvir.
A verdade é imparcial
E soa muito cruel.
A verdade é inconveniente
E vai contra os interesses.
Se quiser a verdade
Não vá por onde
Caminha a multidão desembestada.
Não tenha uma verdade
Tenha caminhos a seguir.
Acredite na minha verdade
Com uma possível mentira,
Acredite em minha mentira
Como uma possível verdade,
Porque ambas são mutáveis.
Tome cuidado... a convicção
É uma mentira contada
Por toda a vida.
Acredito na verdade eterna
Que não posso ensinar,
Sem que você vivencie.
Escute o que digo
E siga teu caminho
E se acaso encontrar
Uma verdade, me ensine...

13-11-2008 Um poema para minha filha Allana

J.Nunez

Análise do Poema

A métrica Imparcialista é exposta nesses versos do poema Amor Incondicional, nele a métrica é feita com a mesma quantidade de palavras em todos os versos, e a quantidade desses versos resulta em um número impar, sendo duas estrofes compostas por versos pares mais o verso imparcial que somado as duas estrofes torna a quantidade de versos impar. O verso impar abrange as duas estrofes dos pontos de vista.

Observação: o Imparcialismo nasceu no mesmo dia que minha filha nasceu, 13 - 11 - 2008 - ele foi gestado em mim, porque o homem pode gestar um Movimento Literário e a mulher pode gestar a maior das criações; filhos, e ainda poesia.


José Nunes Pereira 

Convite a um recomeço...

O Perdão é Sol de um Novo Dia

Todos os dias a vida nos faz um convite a um recomeço,
Pode o Sol despontar com todo seu esplendor,
Pode a chuva fina bater na vidraça,
A neblina esconder a estrada,
O vento frio calar as ruas
E as manchetes no jornal não falar de coisas positivas
Que o convite será o mesmo, Recomeçar.
Se para continuar o seu caminho
For preciso perdoar e esquecer um desagravo,
Estão perdoe e esqueça,
Porque esse é o maior bem que você faz a si mesmo.
Se você ainda não sorriu hoje,
Se ainda não disse uma palavra que conforta e motiva,
Se você ainda não estendeu a sua mão,
Se ainda não reconheceu, não elogiou um amigo,
Se ainda não compreendeu alguém que pensa diferente de você
Nunca é tarde para se fazer esse bem.
A doação de si mesmo é o que faz o mundo melhor,
O bem que você faz ao próximo é um bem que você faz a si mesmo.
Para saber todos os dias que você é um vencedor,
Reavalie o seu caminho até aqui, leve em conta,
O sofrimento e a dor de tantas outras pessoas pelo mundo,
Reveja as suas armaduras e as suas qualidades de guerreiro
E lembre acima de tudo, que nada
E nem um dia sob esse Sol foi perdido,
Nem mesmo seus erros,
Que são seus acertos e aprendizados de amanhã.
Se você ouviu dizer que só Deus perdoa,
Então seja a semelhança de seu criador, e perdoe.
O perdão é o Sol de um novo dia,
Ele é o maior bem que você faz a si mesmo,
Porque um coração livre de rancor
Está pronto para amanhecer um novo dia,
E muitas vezes o seu próximo passo rumo ao seu objetivo
Pede que perdoe e esqueça os dissabores.

Francisco Medeiros
J.Nunez

Literary movement Imparcialismo | Movimiento literario Imparcialismo

Movimiento literario Imparcialismo

La intención de este movimiento es crear el nuevo contexto para la literatura, así formar la literatura para el nuevo contexto; la literatura que es la lectura del contemporáneo del hombre, con sus miedos, de sus aflicciones, sus dudas, sus pensamientos, sus sensaciones, sus conflictos, sus comportamientos, siendo así, searchs de la literatura de Imparcialista el objetivo del arte. El movimiento de Imparcialista cree que las tendencias se pueden formar al apartir del comentario del contexto. J. Núñez poeta y escritor inventivos del Movimiento literario Imparcialismo y su catorce nosotros pseudónimos.

J. Núñez


Literary movement Imparcialismo

The intention of this Movement is to create the new context for literature, thus to form literature for the new context; the literature that is the reading of the man contemporary, with its fears, its afflictions, its doubts, its thoughts, its feelings, its conflicts, its behaviors, being thus, Imparcialista Literature searchs the art objective. The Imparcialista Movement believes that the trends can be formed to apartir of the comment of the context. J. Núñez Inventive poet and writer of the Literary Movimiento Imparcialismo and its catorce we pseudónimos.

J. Núñez

Movimento literário Imparcialismo

O propósito desse Movimento é criar o novo contexto para a literatura, para assim formar a literatura para o novo contexto; a literatura que seja a leitura do homem contemporâneo, com seus medos, suas aflições, suas dúvidas, seus pensamentos, seus sentimentos, seus conflitos, suas condutas, sendo assim, a Literatura Imparcialista busca a arte objetiva. O Movimento Imparcialista acredita que as tendências podem ser formadas apartir da observação do contexto. J.Nunez poeta inventor e escritor do Movimiento Literario Imparcialismo e seus catorce pseudónimos.

J. Nunez

O velho e sempre novo Amor...

Um Novo Amor

Em um desses muitos momentos de solidão
Inventei um novo amor, desviei o meu olhar
Para uma outra paixão, como se não existisse dor
Como se fosse fácil te esquecer.

Inventei um novo amor, que desvia o seu olhar
Do meu olhar, ardente de paixão
Inventei um novo amor, que se esconde e esconde o desejo
Por traz de tantas razões que meu coração desconhece...

Um novo amor é sempre invenção de um momento de solidão,
De um momento em que se vive carente.
Se novo amor corresponde, logo temo que eu o aceite,
E perceba que nada é como sonhei.

Então inventarei um outro novo amor
Como não existisse dor como se fosse fácil te esquecer.
Inventando o amor, sofrendo de solidão,
Chorando em noite frias, disfarçando
Esse sentimento em outros olhares,
Assim, fui longe demais,


Machuquei um coração semelhante ao meu,
Fui longe de mais com se pudesse tudo...,
Menos esquecer!...
Meu verdadeiro e único amor...


José Nunes Pereira
J.Nunez

domingo, 6 de junho de 2010

Manipulação Genética

O jardineiro artificial

Ano dois mil e trinta e três,
Até então os cientistas tinham a ilusão de manipular a genética,
Até que deu na manchete de todos os jornais:
Cientista chega em casa e pega sua esposa transando com o jardineiro artificial,
Quando eu digo artificial estou dizendo no sentido conotativo da palavra,
O jardineiro é uma criação do avanço cientifico e tecnológico,
O jardineiro é resultado da manipulação genética.
Como todo marido traído e como todo bom e velho homem primitivo
Que é muito humano em todas suas emoções, sensações, pensamentos
Com toda Irritação à luz artificial, a poluição sonora e outras centenas de poluição,
Com todo o seu subconsciente, com todo o seu desejo de ser amigo,
Amante viril, e com toda suspeita de marido e pai de família
e com todo o seu apego a vida e a matéria,
Esse bom e velho homem primitivo matou a facadas
(Em 2033 ainda existe faca) sua esposa e o amante.
Criação infeliz... Desse cientista, que com tudo é primitivo e não suportou
A traição de sua mulher artificial, aqui o artificial tem sentido denotativo ok.
Uma observação: O cientista errou na mão...
Deu ao jardineiro artificial um membro viril muito maior e mais grosso que o seu,
E isso custou seu casamento, você sabe como é, marido ausente,
Jardineiro lindo e gostoso ali, justou a fome e a vontade de comer.
(Em 2033 comer é isso mesmo o que você está pensando.)
O cientista em questão descobriu de maneira trágica
Que ele não domina si quer suas emoções, quem dirá a natureza,
Deixemos a natureza para o grande arquiteto do universo e da vida, Deus...
Sejamos humildes como os índios,
Que se integra ao universo e com a vida,
Comem o que a mãe natureza dá,
Banham nas águas das cachoeiras,
Se tornam UM com a vida e o universo
Quando dança e cantam seus mantras tirados da natureza...
Eles respeitam a vida e a natureza
Porque sentem a presença de Deus em tudo,
E o que são seus deuses se os elementais da natureza,
Se não o Deus invisível em tudo que foi por criado próprias sua mãos.
“Para que inventar tanto tanta moda,’’
Como dizia meu bom e velho avô.
Somos e seremos sempre primitivos em todas as nossas emoções, sensações,
Limitações, necessidades, nossa biologia...
Aceitemos a vida e a morte naturalmente, acreditemos na alma no carma
E na evolução da alma, e sejamos simplesmente felizes...
Como um bom o primitivo... Que é o que somos.
O poeta IMPARCIALISTA Josias Maciel disse:
Quer algo novo: faça sexo tântrico com sua esposa
E se torne UM a natureza e o universo...e Deus está lá...

Salomão Alcantra
J.Nunez
Movimento Literário Imparcialismo

POESIA PARA O DIA DOS NAMORADOS 2014




Desde aquele olhar 

Tudo que sei do amor
É o que vivo com você.
Desde um sorriso sem jeito,
E um leve toque em sua mão,
Desde aquele olhar           
Que não dá para esquecer.

Tudo que sei do amor
É o que vivo com você.
É a dor é alegria
É o fogo do amor na cama
É a nossa historia,
É a historia de cada um.

Tudo que sei do amor
É o que vivo com você.
É você, começo e fim
De minha historia de amor.
Se é que o amor tem fim,
Se é que a vida acaba aqui.

Tudo sei do amor
É o que vivo com você
Deste aquele olhar
Que não dá para esquecer.
                                                                   
Franscisco Medeiros
 J.Nunez


Sem palavras nos entendemos melhor...

O teu silêncio esconde uma dor
Oculta em teu peito um amor
Que silenciosamente busca saída
Por que as palavras não dizem nada.

Tudo que temos a dizer
Apenas fere faz renascer
Magoas ainda não esquecida
Ferida ainda não cicatrizada

Nossas palavras estão esgotadas
Por isso silenciosamente buscamos saídas
Posto que as palavras não dizem nada

Mas os teus olhos falam de um amor,   
Sem palavras nos entendemos melhor
Mesmo que o peito esconda uma dor.

Darci Costa
J.Nunez



Eu poderei te esquecer, ou até continuar te amando em segredo...

Nunca ignorei o fato de que você
Poderia ir embora a qualquer momento
Eu te conheço muito bem,
Sei todas suas ilusões e desejos.
Sinceramente não sei como você
Foi capaz de se conter...
Foram tantos os olhares cobiçosos
Que te desejaram mais que tudo.
Esse fato me leva a acreditar
Que você bem que tentou
Deixar de lado a fugacidade do desejo...
Não sou tão inocente e iludido o suficiente
Para colocar minha mão no fogo por você,
Afinal foram tantas as vezes que me enganei.


Se dessa vez você for embora sem ter me enganado
Mais uma vez, você pode estar certa
Que ficarei muito feliz com isso.
Saber que uma vez na vida você foi honesta comigo
E com você mesma, essa sua atitude
De consideração por mim e decência para consigo mesma
É capaz de mudar os meus conceitos com relação a você
E de retirar do meu coração essa magoa de eterno enganado...
Eu te conheço muito bem...
E conheço ainda mais o coração humano,
Sei que o amor é um sentimento de equivalência,
E certamente dessa vez você vai realmente embora,
Essa minha certeza vem do seu olhar
Que não se incomoda nem um pouco
De mostrar como você está feliz...,
Você encontrou o amor que procurava
Nos olhos de um homem que te adora,
E ainda pode te dar o mundo...
Como eu poderia dizer que você o ama
Se o seu amor busca o que lhe é conveniente amar...
O que eu posso esperar de você
 É o mínimo de consideração e decência comigo,
Vá embora!... Mais seja honesta comigo,
 Que isso fará toda a diferença em nossas vidas...
Eu poderei te esquecer, ou até continuar te amando em segredo,
Isso não importa muito agora
O que importa mesmo é que você seja honesta comigo
Pelo mesmo dessa ultima vez
Que te vejo aos poucos indo embora...

Darci Costa
J.Nunez

Amizade

Só te peço que não se ausente muito,
Não vá muito longe.
Tem tudo para ser...
Falta muito pouco para ser amor
Esse nosso sorriso a dois, essa amizade,
Esse carinho, esse cuidado, essa atenção,
Não falta mais nada...

Não é por acaso que nossa amizade
Desperta ciúme e ódio...
Nós sabemos, sem precisar dizer,
Que nossa amizade é o amor em sua nobreza.

O que oferecemos um ao outro é o prazer de estarmos juntos,
Rindo de tudo, conversando coisas sérias, dizendo bobagens.

Falta muito pouco para ser amor, na verdade, não falta nada.

A nossa amizade fala mais alto...
E o nosso amor se cala em complacência
Assim somos capazes de aceitar tudo como está...
Só te peço que não se ausente muito,
Não vá muito longe.

José Nunes Pereira

J.Nunez


Matizes

Matizes têm a cor,
Matizes têm a dor,
Matizes têm o amor

Nas folhas um tom
de verde
Nos olhos o tom
da verdade
Do que de fato se sente

Nem tudo resiste
Por causa da intensidade
da cor
Não digo o mesmo do amor
Não digo o mesmo da dor

As cores das roupas
no varal
A tonalidade do azul
nunca é igual
A intensidade do amor
de cada casal
É matiz do amor
que nunca é igual.

Francisco Medeiros
J.Nunez

Praticar Amor

AMOR DEVE SER EDUCADO,
EXERCIDO COM DISCIPLINA
E PRÁTICADO COM VIRTUDES.
AMOR SEM ORGULHAR DO SEU AMADO,
AMOR SEM ADIMIRAR O SEU AMADO.
AMOR SEM COMPREENDER O SEU AMADO,
AMOR SEM RESPEITAR O SEU AMADO,
AMOR SEM FIDELIDADE AO SEU AMADO,
AMOR SEM SACRIFÍCIO PELO SEU AMADO,
AMOR SEM DEDICAÇÃO AO SEU AMADO,
AMOR SEM ELEGANCIA, SENSIBILIDADE E DELICADEZA,
AMOR SOLTO AO SABOR
DE NOSSOS INSTINTOS E FRAQUEZAS
É SENTIMENTO QUE SÓ NOS TRAZ
SOFRIMENTO E DOR.

FRANCISCO MEDEIROS
J.NUNEZ

Amei tanto, tanto...

Amei tanto, tanto
Está ideia de amar
Amei tanto, tanto
A ideia que formei de você,
Até que descobri
Que eu amava
Uma ideia de amar.

E que eu amava
Uma ideia que formei
Sobre alguém que amo.
Agora amo você
Como um engano
Como uma desilusão de amar
Como uma desilusão com alguém.

Primeiro se ama a ideia que se forma
Depois se ama e não tem jeito mesmo.
Depois se ama sem conto de fadas
Depois se ama com vida e realidade.


Darci Costa
J.Nunez

O IMPARCIALISMO

Você não está cuidando de mim direito

Você não pode despregar os olhos de mim,
Sou criança e preciso que você venha ver
Se não estou correndo perigo.
Você esqueceu de cuidar de mim,
Você não está cuidando de mim direito!
Você não sabe que eu sozinho corro perigo:
Posso por fogo na casa se você não estiver aqui,
Posso fugir com um estranho,
Posso me ferir com qualquer coisa,
Posso cair escadaria abaixo,
Posso beber veneno, posso chorar até adormecer,
Posso sentir medo, posso sentir frio,
Posso fazer birra até que você venha me ver,
Posso bater com a cabeça na parede,
Posso quebrar seus objetos,
Posso acordar no meio da noite,
Posso ser roubada de você, posso ter um sonho ruim,
Posso querer seu colo para adormecer,
Posso cair da cama, posso me perder dentro de casa,
Posso até forçar um choro.
Será que você não entende...
Que eu preciso mesmo de você.

José Nunes Pereira
J.Nunez
O IMPARCIALISMO



Quando é Amor..

Depois de tantos danos irreparáveis em minha vida
Não sou capaz de confessar que não valeu apena,
Posso dizer isso apenas a mim,
Enquanto escondo e disfarço os sentimentos
Para que ninguém perceba o quanto eu estava errada.
Prefiro continuar insistindo que você é o amor da minha vida,
Que confessar que o tempo reduz quase tudo em ilusões.
Chamo de amor essa vaidade e esse orgulho
Que não me deixa confessar a quem quer que seja,
Que o amor vai esvaecendo com o peso da vida.
Pode até soar estranho, mas eu já fui romântica,
E dizia que o amor só acaba quando não é amor,
Afinal quando é amor...
O amor pode perdurar não pelo simples fato de ser amor,
Mas pelas almas que se tocam em afinidades.
Não importa o quanto foi belo meu sentimento de amor,
O que resta dele é o capricho de querê-lo a minha maneira
Agora esse capricho toma forma de orgulho
Que não me deixa assumir o quando eu estava errada.
Meus pensamentos não é apenas vaidade
Que me impede de confessar meu fracasso no amor,
Meus pensamentos é daquela pessoa
Que passou a acreditar que todo amor é assim:
Uma vontade de viver o outro a nosso modo.

Darci Costa
J.Nunez


A música e árvore do nosso amor

Todo amor merece uma música e uma árvore.
Entardeceu, o sol sem aquela sua timidez
Dos dias de inverno, invade a casa
Através da porta da cozinha,
Enquanto desce no poente.
Entardeceu, o sol invade a casa
Mas ainda persiste aquele frio de acalanto,
Persiste também o dia de inverno,
Persiste a friagem nos azulejos da cozinha,
No chão e nas paredes.
A noite vai ser fria e com gosto de aconchego
Que nos convidando para ir cedo para a cama
E depois que aquecermos nossos corpos
Com beijos e cobertores, o amor
Nos convidara para a união de corpo e alma.
Amanheceu, seu beijo me aquece outra vez,
A tudo desperta ou adormece com o sol que vem chegando.
Café da manhã, ah o café da manhã!
É a refeição mais importante do dia
É o abastecer-se de energia para o dia todo...
Eu e a esposa saímos mais cedo hoje
Porque é o dia da semana que vamos a pé para o trabalho,
Ela anda um pouco menos,
Mas nos dois passaremos embaixo do cedro centenário
Na Praça do Libanês Salomão Said.
Cedros, o que são os cedros, o que são as arvores,
Os índios é quem mais sabem delas...
Cedros dos profetas, dos esotéricos
Cedros do templo de Salomão.
Cedros, senhor dos tempos
Cedro da bandeira do Líbano,
Cedro da Praça Salomão Said,
Onde nasceu o nosso amor
Onde nos beijamos todas as manhãs,
Para imortalizar nosso amor
Ao pé do cedro onde tudo começou...

Cícero Fernández
J.Nunez

Onde sou lembranças de um amor....

O tempo não é estrada, não é chão de areia
E o vento não sopra onde sou lembranças de um amor.
Por isso está aqui em meu peito
Suas garras, suas pegadas no caminho.
Ainda te vejo indo embora, ainda sonho contigo
Para casa voltando, quero muito acreditar,
Insisto nesse engano de que você ainda não me esqueceu...
Não sei até quando sou capaz de viver assim...
De enganos e ilusões de amor, sabendo tanto de você!
Sei que você pode me abandonar,
E até para sempre me esquecer,
Mas eu te espero, quase que sem querer, mesmo sabendo
Que você nunca mais vai voltar aqui,
Onde de alguma maneira fomos felizes
E isso você não pode negar...
Não sei mais se te espero ou se espero o tempo apagar
Suas garras, suas pegadas no caminho...
Eu não sei o que faço sem você,
Eu não sei o que farei se não tiver essa dor para chorar...
Sofrer por amor, essa tristeza
E essa lágrima contida em meus olhos
Fazem de mim um homem digno do amor de outra mulher...
E no fundo dessa dor, eu amo sofrer por amor.

José Nunes Pereira
J.Nunez

Em segredos com meu coração

Pelas ruas da cidade, meus olhos
Procuram o seu olhar,
Em becos e bares, lugares vulgares
Onde você nunca vai estar.

Quando já quase amanhece
E já nem mesmo sei onde moro,
Encontro a meiguice do seu olhar
E o calor dos seus abraços
Em uma outra mulher,
Que certamente nunca mais volte a ver.

Quando a saudade machuca demais...
Invento encontro casuais
Em teatros, cinemas e cafés,
Onde certamente você vai estar.
Fico de longe te espreitando
Feito sua presa natural,
Fico na tocaia em segredo
Com meu coração.
Te contemplo e me pergunto:
Por que fui encontrar amor
Nos olhos de quem me faz tão infeliz.

Jose Nunes Pereira
J.Nunez

A essência do amor

Eu trago flores, breves,
Eternas na lembrança,
Para enfeitar o meu dia,
Com sua alegria,
Igual a de uma criança,
Brincando na sala de estar.

Busco para você,
Neste campo de flores e espinhos,
Aqui dentro de mim,
Assência do amor,
O melhor jeito de amar,
É amar você por toda vida.

Não há vida além dos seus olhos,
Nem conforto maior que dos seus abraços,
Nem prazer maior que o do seu corpo,
Nem há partida, pois somos um só.

Quero que nossa felicidade
Seja assim: sem motivo aparente,
Igual o teu sorriso simpático
Refletindo as virtudes de sua alma,
Espontâneo como um sol da manhã
Que sai lentamente de traz de nuvens brancas.

Francisco Medeiros
J.Nunez

Se o amor não passa

Escorpião-Touro

Se a vida continua
O amor não passa,
Se o corpo envelhece
O amor não passa,
Se a alma enobrece
O amor não passa,
Se suposto amor chegar
O amor não passa,
Se a vida descaminha
O amor não passa,
Se a morte chega
O amor não passa,
Se escrever outro historia
O amor não passa.

Homens e mulheres sofrem de maneira diferente o mesmo amor...

Só me resta fazer
Desse amor meu segredo,
O mistério no olhar,
Sofrer um grande amor
Enobrece o meu coração.
Deixa essa leve tristeza,
Quase que sem explicação.
Sofrer um grande amor
Faz do homem digno
Da mulher que ama,
Sabe amar de verdade,
Sofrer um grande amor,
Faz do homem puro
Admirável, carente e discreto...

Saturnino Queiros
J.Nunez

MOVIMENTO LITERÁRIO IMPARCIALISMO

poema escrito dentro da estética e métrica imparcialista


A Gente Se Merece

Não quero um outro amor,
Já vivi o bastante para aprender
Que somos nós que devemos mudar,
Que sou eu que devo fazer por merecer.

Se o nosso amor vai de mal a pior
É hora de fazermos alguma coisa,
Mas esquece essa ideia de dizer adeus,
A gente se merece assim como somos,
A gente se merece com todos nossos erros,
Com todos os nossos defeitos.

Eu não mereço coisa melhor,
Você não merece coisa pior,
A gente se merece assim como somos.

Esquece essa ideia de dizer adeus,
A gente já viveu o bastante para aprender,
Que tudo na vida tem um preço,
Tudo custa esforço.

Você nunca parou para pensar?
Que até mesmos as flores
Se esforçam para ser lindas,
Que os pássaros fazem ninhos e cortejam,
Que os leões guardam seu território,
Que as fêmeas sacrificam por seus filhotes
Tudo é movido pela força do amor.

Esquece essa ideia de dizer adeus,
Essa ideia de amores modernos,
De amores covardes que não suportam a realidade,
Só podemos chamar de amor aquele sentimento
Que suporta o peso da vida real.
Podemos sim ir mudando,
E nos merecendo à medida que tornamos melhores.

Salomão Alcantra
J.Nunez

Inocência


Não importava o quanto eu te amava
Não, não é isso que conta, importa
Mais o que você cobiça, importa
Mais o que você deseja
Não importa o quanto
Fui bom pra você
Não, não é isso que conta
importa mais o que você quer
E o que eu posso dar
Não importava o quanto eu era jovem e belo
Não importa quanta coragem
Eu tinha pra encarar à vida
Não, não é isso que conta
Importa mais o que eu posso dar
E o que você cobiça
Que importância tem meus versos
Em lenço de papel ou em papel de pão
Que te importa meu amor escrito à
Lágrima e tinta... se afinal, amor, bondade
Coragem, beleza e juventude são tão
Vulgar para você, nada, nada disso
Pode te prender
Por que não é isso que conta
Para ter seu amor....

José Nunes Pereira
J.Nunez

Olhos

Há nos olhos
O tom da verdade,
Do verde
Do azul,
Do preto,
Do castanho,
E de uma cor indefinida,
Que sempre muda
Na claridade
Exposta ao sol
E em sentimentos
De breves e diferentes tons...
Qual é a cor dos seus olhos?
Não importa!..Só quero essa verdade que eles contêm.

Francisco Medeiros
J.Nunez

Desde aquele olhar

Tudo que sei do amor
É o que vivo com você.
Desde um sorriso sem jeito,
E um leve toque em sua mão,
Desde aquele olhar
Que não dá para esquecer.

Tudo que sei do amor
É o que vivo com você.
É a dor é alegria
É o fogo do amor na cama
É a nossa historia,
É a historia de cada um.

Tudo que sei do amor
É o que vivo com você.
É você, começo e fim
De minha historia de amor.
Se é que o amor têm fim,
Se é que a vida acaba aqui.

Tudo sei do amor
É o que vivo com você
Deste aquele olhar
Que não dá para esquecer.

Franscisco Medeiros
J.Nunez

Real princesa

No auge da beleza
A real riqueza
Linda!... Como flor em botão
Um capricho da criação
Inocente!... Sonho delirante
Cárcere!... Deste amante
Rareza!... De diamante
Real princesa
De natureza fatal
Árvore do bem e do mal
Incomparável,
Inevitável,
Inesquecível,
Indescritível,
Por seu valor
Indizível valor
Fonte do amor
Criador de maravilhas
De filhos e filhas
Dignificado
Purificador
Do espírito
para o retorno ao eterno infinito
Real princesa
Em castelo de palha
Ou em castelo deslumbrador
Onde mora o real amor.

Francisco Medeiros
J.Nunez

Paisagem interior

Todo o firmamento,
As asas das borboletas
E mais o teu sorriso,
É poesia em estado sólido.
Tudo ao meu redor,
Veste se com tua beleza,
E amanhece no dia claro de primavera
Que vejo em teus olhar.
Teu corpo bronzeado de lua,
Amanheceu esquecido na cama e
Vestido de luz,
E em teus braços existo sólido e abstrato,
Dissolvido no universo,
Não sei até onde eu sou,
Até onde é você.
A poesia é você...
Eu apenas te escrevo,
Assim faço com o canto
Da a eterna criação do mundo,
Assim faço com todo o firmamento
E com toda a natureza.
Todas as poesias, e todas as canções,
Já estão escritas deste a formação do universo,
E sobre tudo que é solido
E sobre tudo que é abstrato.

Saulo Menezes Castro
J.Nunez

Poesias para os amores correspondidos, amores não correspondidos
e para os amores em crise, para esses amores em crise digo que é
assim que nos sentimos vivos!..evoluindo e aprendendo.


J.Nunez

Postagem em destaque

Fique por perto!

Volte logo, Não demore muito, Fique por perto! Eu te esperarei dentro e fora do tempo. Sua alma é nobre, Fique no sangue do meu sangu...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA