Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

quinta-feira, 8 de julho de 2010

A Consistência vaporosa de sermos nós

http://www.oimparcialismo.recantodasletras.com.br

Serei agora o que não fui a pouco.
Não sei se serei de fato ou tudo não passa
De uma encenação vaporosa de ser,
Mas certamente é também uma maneira
Inconsistente de ser, mesmo que vaporosa.
É certo que não serei por muito tempo,
Afinal, não tenho estações e faces lunares
Sou na verdade algo como espelhos
Que refletem e isso é tudo.
Serei o que não fui ontem;
Amanhã nem Deus sabe.
Como é que posso saber do amanhã
Se a vida é acidental, se viver
É caminhar no escuro, é habitar o acaso.
Certeza, deixo para aqueles que dizem ver Deus,
Certeza, deixo para os puros e simples de coração,
Para aqueles que põe consistência vaporosa em tudo.
Eu sou gente suja, eu sou pagão
Tenho remorsos e medos e não me arrependo,
Por isso sempre sou outra vez o que fui outrora.
Eu sou gente suja, não sou o bom Cristão
Não tenho a verdade, a salvação garantida
Nem um infinito estoque de perdão.
O que eu sei,
É da inconsistência vaporosa de sermos nós.

Murilo Santiago
J.Nunez

Um novo caminho para a literatura

A poesia globalizada, o multiculturalismo e a imparcialidade nas obras literárias é um novo caminho que se abre para a literatura, os poetas que buscam a poesia que faça uma leitura do homem contemporâneo estão nesse caminho que se abriu com a Era da Informação.
O estudo do novo contexto é a base para a realização desse novo caminho para a literatura. O novo contexto para a literatura não é mais regionalista, e não se prende a uma cultura determinada, a nova poesia é globalizada, multiculturalista, imparcial, assim, apropriada para a nossa Era da informação. Os artistas contemporâneos, não importa que expressão artística utiliza, não podem esperar pelo fim do Modernismo Brasileiro ou mesmo mundial, porque esse é medido pelo avanço tecnológico, pelo progresso da sociedade industrializada e pelo capitalismo que não terá um fim, podemos observar sem esforço que o homem tomou um caminho sem volta rumo a sua autodestruição, Ela anda de mão dada com a destruição do planeta, e até se confundem.
O que os artistas podem fazer é observar essa realidade planetária, social, coletiva e individual e dessa observação do contexto criar o novo caminho para a literatura.
As tendências não são necessariamente mecânica; as tendências podem surgir da observação do contexto.
j.nunez

terça-feira, 6 de julho de 2010

Não perca as boas oportunidades....

Nunca perca uma oportunidade na vida,
Especialmente aquelas oportunidades de ajudar o próximo,
Aquelas oportunidade de pedir perdão,
Aquelas oportunidades de dar um elogio,
Aquelas oportunidades de reconciliar com seu irmão,
Aquelas oportunidade de dizer te amo,
Aquelas oportunidade de estender sua mão,
Aquelas oportunidade de viver um amor,
Aquelas oportunidade de fazer amigos,
Aquelas oportunidades de conhecer o outro,
Aquelas oportunidades de ser ajudado,
Aquelas oportunidades de cuidar de alguém,
Aquelas oportunidades de curtir seu filho,
Aquelas oportunidades de escutar os mais velhos,
Aquelas oportunidades de ensinar os mais novos,
Aquela oportunidade de amar outra vez,
Aquela oportunidade de se apaixonar,
Aquelas oportunidades de recomeço e reconciliação.
Aquelas oportunidades de mostrar o que você tem de melhor,
Aquelas oportunidades de mudar o que não lhe agrada,
Como você vê, a vida é cheia de boas oportunidades,
E as boas oportunidades é Deus estendendo sua mão,
Estão aproveite e faça da vida uma canção sem fim....
Nunca perca a oportunidade de ajudar o próximo,
Porque essas oportunidades são a chance que Deus lhe dá
Para que pague sua dividas com ele.

Francisco Medeiros
J.Nunez

domingo, 4 de julho de 2010

A Exclusão social nasce em nosso olhar.

http://www.oimparcialismo.recantodasletras.com.br

Se você não está pronto não precisa ler esse texto, se você não é capaz de se encarar a frio e de maneira cruel e imparcial consigo mesmo não si de o trabalho de ler a Literatura Imparcialista.
A inclusão social é um ato de caridade, amor, consciência, sacrifício, humanidade, bondade, nobreza, compreensão, espiritualidade e responsabilidade por parte daqueles que acreditam possuir o poder de incluir ou excluir os indivíduos na sociedade.
A exclusão social antes de ser uma atitude social ela está no interior de cada ser humano, e se manifesta sutilmente em nosso olhar. Quando falo em individuo incluído estou dizendo de individuo que poderiam ser vitimas de exclusão, seja por sua condição social, física, mental ou sexual. Observe o seu olhar sobre os excluídos da sociedade, observe a sua atitude interior, aquela atitude que se manifesta em segredo consigo mesmo, aquela atitude que não é exteriorizada, para que não sejamos vistos como pessoas de má conduta social espiritual e humana.
A inclusão social possui em si mesma a sutileza da hipocrisia quando observamos que essa inclusão social nasce em nosso olhar sutilmente cruel, preconceituoso e seletivo.
Por mais nobre que possa parecer essa atitude de inclusão social, ela esconde o nosso olhar seletivo, cruel e hipócrita. Muito do que defendemos com unhas e dentes através de teorias não somos capazes de praticar quando somos colocados à prova. Podemos defender a liberdade sexual e a livre expressão de sentimentos humanos, mas será que podemos suportar essa liberdade sexual e essa livre expressão de sentimentos dentro de nossa casa, entre os nossos filhos e filhas. Defendemos as mais variadas depravações humanas desde que não seja conosco e entre os nossos, desde que seja bem longe da porta de nossas casas. Se não podemos aceitar a liberdade sexual e a livre expressão de sentimentos entre os nossos e à porta de nossas casas estamos sendo hipócritas... A exclusão nasce no olhar, as nossas atitudes inclusivas esconde nossos mais profundos preconceitos, observe que nossa atitude diante do excluído é de exclusão, a nossa atitude de ilusão de poder de incluir ou excluir esconde o mais profundo sentimento de superioridade. Não somos capazes de olhar os que podem ser indivíduos incluídos ou excluídos por nós como sujeitos iguais a nós, não somos capazes de conversar e olhar para esses indivíduos como pessoas dignos de respeito por si só e por sua própria condição humana.
É normal vermos nas empresas pessoas com necessidades especiais, essas pessoas estão incluída na sociedade de um modo mais completo e complexo, temos por eles simpatia e damos a eles nossa atenção, mas como é nosso olhar interior para essas pessoas. O nosso olhar interior para essas pessoas é um olhar de exclusão, sim de exclusão! Se você acaso não concorda me responda:_Essas pessoas a qual consideramos incluídas na sociedade é olhada por você socialmente como um individuo igual a você, você é capaz de conversar com esse individuo incluído no seu meio social de igual para igual, sem aquela simpatia e atenção que temos para com as pessoas que consideramos mais fracas que nós e que não apresentam ameaças de rivalidade e disputas conosco, essa simpatia se justifica com esse olhar de falsa superioridade, você tem uma profundo respeito e admiração por essa pessoa ou essa pessoa é alvo de suas brincadeiras que oculta o mais profundo sentimento de superioridade mascarada por nossa falsa simpatia, você já observou que você sempre fica do lado das pessoas iguais a você ou superiores a você quando esse individuo incluído no seu meio social é vitima de brincadeiras simpáticas, e que geralmente revela o nosso olhar de falsa superioridade porque essas brincadeiras são quase sempre inocentes ou idiotas. Porque você não se une ao individuo incluído na sociedade para fazer brincadeiras simpáticas com o seus superiores ou com aqueles que você considera em igual condição a você, porque você não senta com esse individuo e conversa com ele como se ele fosse seu superior ou igual a você, isso não acontece porque você olhar para esse individuo com seu olhar seletivo e interior. Certamente você não olha para o individuo incluído em seu meio social de igual para igual, você não faz isso, não faz porque olhamos para essas pessoas incluídas na sociedade com indivíduos inferiores a nós.
Será que estamos incluindo individuo ou estamos criando uma sociedade de individuo incluído na sociedade e continuamos olhando para esses indivíduos com se eles fosses apenas pessoas dignos de nossa piedade e simpatia.
Esses indivíduos incluídos na sociedade não necessitam de nossas brincadeirinhas simpáticas, eles por suas próprias capacidades e condição humanas são dignos de respeito, igualdade e consideração. Eu, J.Nunez em minha adolescência e por um cinco anos fui epilético, e essa minha condição me ensinou muito sobre a vida e nosso olhar sobre nós mesmos, sobre os outros e sobre a sociedade.

J.Nunez

Postagem em destaque

Fique por perto!

Volte logo, Não demore muito, Fique por perto! Eu te esperarei dentro e fora do tempo. Sua alma é nobre, Fique no sangue do meu sangu...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA