Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

sábado, 11 de fevereiro de 2012

90 anos da Semana de Arte Moderna e o Movimento Imparcialismo


Modernismo


Na semana que vem serão comemorados os 90 anos da “Semana de Arte Moderna” que aconteceu no Teatro Municipal em São Paulo, dos dias 11 a 18 de fevereiro de 1922. 
  http://www.reporterfoca.com.br/sanischa/2740













 Imparcialismo


No dia 14 de fevereiro de 2010 foi lançado oficialmente o Movimento Literário Imparcialismo. Esse movimento tem o propósito de realizar à leitura do homem e da sociedade contemporânea. A proposta Imparcialista não vai contra o Modernismo,  que se encontra totalmente desconectado da realidade de nossa Era da Informação. Um outro contexto histórico implica em nova construção artística e literária. O propósito do Movimento Imparcialista é praticar a literatura objetiva e a leitura desse novo período histórico O Imparcialismo diferencia do Modernismo em vários aspectos, podemos destacar o que é mais evidente, o tempo histórico.

Movimento Literário Imparcialismo

A grande bestialidade brasileira....


Bestialidade ou Carnaval

Sejamos francos e elegantes!
Carnaval é bestialidade,
Sexo exótico e selvageria...
E vendemos essa imagem para o mundo!
Mulata de fio dental
Não é coisa de se orgulhar...
Eu preferiria ver um mulato
E uma mulata presidentes da república...
Adoramos as mulatas,
Porém de modo elegante, honrado, humano e digno...

Porque temos que ser o Bordel do Mundo...
Eles possuem os gênios da humanidade: 
Friedrich Nietzsche, Mozart, Karl Marx, Sócrates
Leonardo da Vinci, Galileu, Chaplin, Albert Einstein, Platão,
Fernando Pessoa, Isaac Newton
Beethoven, Júlio Verne,  William Shakespeare e muitos outros.
Temos mulheres de fio dental,
Temos alguns gênios, porém não os vemos,
Temos muitas bundas e vícios para vê-los.


Salomão Alcantra
J.Nunez

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

O indivíduo e a sociedade: O carnaval, mulheres, sexo, bebida e futebol é cultura brasileira? Estão a cultura Brasileira é um bordel legalizado...


O individuo e a sociedade

O carnaval, mulheres, sexo, bebida e futebol é cultura brasileira?
Estão a cultura Brasileira é um bordel legalizado...
Estou muito longe de ser puritano,
Porém a liberdade que um indivíduo dá a si mesmo,
Não pode ser impostas à sociedade em forma de lei.

Um indivíduo pode fumar maconha,
Ter à opção sexual que o desejo concebe,
Ter as condutas que a lei pune,
Porém essas condutas de grupos e indivíduo
Não podem ser impostas à sociedade em forma de lei.

Um sujeito pode ser fascinante, atraente e misterioso;
A sociedade será sempre a sanidade
E o equilíbrio dos homens normais.
O individuo não pode ser à sociedade
E a sociedade não é o individuo...

  A sociedade é a elite no poder
E o grupo com maior número de indivíduo
Dentro dessa sociedade;
 E o desejo desse grupo deve prevalecer sempre;
A elite deve cuidar para que não aconteça à revolta 
Desse grupo que sustenta a sociedade e a elite.

Albano Morais
J.Nunez

Polícias, Médicos, Professores e Bombeiros em Greve -O Valor do profissional na sociedade do entretenimento


Os governos deveriam criar um teto máximo que um indivíduo (um ídolo) possa ganhar,
o restante deveria  ser repassado ao governo,  que repassaria para outras áreas;



O Valor do profissional na sociedade do entretenimento

A sociedade capitalista valoriza o espetáculo!
E o espetáculo cria ídolos que ganham fortunas em um único dia...
A sociedade do consumo e do espetáculo
Esquece de seus verdadeiros heróis de todos os dias...
Homens e mulheres que correm riscos de acidentes
E até de perder a vida pela sociedade...
Preferimos mandar nossos profissionais da polícia
E da educação trabalhar por amor,
Que reconhecê-los com um salário que dignifica o profissional.

A sociedade do entretenimento e do prazer aprecia o espetáculo,
E não vê absurdo algum na aberração que o capitalismo criou
Depois que descobriu à indústria do entretenimento,
E que a criação de ídolo é absurdamente lucrativa...

O s ídolos na sociedade de consumo
São criados para a invenção de mercado,
Para tanto, são renumerados de modo extravagante e incoerentes;
Assim é criada à ilusão sobre o valor de seu trabalho
Prestado a sociedade do entretenimento e do prazer
E do valor dos produtos que patrocinam os ídolos de nosso tempo.
Há milhões de pessoas envolvidas na criação de um ídolo,
Porém o desfrute dos lucros do mercado,
Que é o próprio ídolo,  
Esta na mão da indústria do entretenimento e nas mãos dos ídolos.

A invenção de ídolos cria a estupidez e a incoerência
De ganhos que são resultados das ilusões humanas...
Existe um abismo de renumeração e o valor dos serviços prestados
Entre os profissionais de áreas que não seja o entretenimento
E os profissionais dos espetáculos, os ídolos.

Os governos deveriam criar um teto máximo
Que um indivíduo (um ídolo) possa ganhar,
O restante deveria  ser repassado ao governo,  
Que repassaria para outras áreas;
Afinal o ídolo é obra da ilusão  e da criação de mercado na sociedade do consumo...
Os políticos também possuem salários absurdos,
Porém seus salários são legislações em causa própria.

Não esqueço que a sociedade descarta seus ídolos imediatistas
Do mesmo modo que joga fora qualquer outra coisa descartável.
Se acaso essa semideusa for feita de Bunda; apreciamos até que apareça
Outra semideusa feita de bunda descartável.

Albano Morais
J.Nunez



quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

Big Brother Brasil: Sexo fácil, espetáculo e sexo sem compromisso....

Reality Show

Reality Show é reflexo da sociedade do espetáculo,
Do sexo fácil, da sociedade do prazer, do materialismo,
Do entretenimento, da superficialidade, do sexo sem compromisso  
E a falta de espiritualidade na sociedade consumista.

Reality Show é o sacrifício e a perda das reservas pessoais,
É a perda da intimidade e da integridade física,
É o desrespeito da existência do individuo
Em nome do espetáculo...

Octávio Guerra
J.Nunez

Banheiro só para Gay - ARTIGO - A TORRE DE BABEL SEXUAL


A Torre de Babel Sexual

O mundo virou uma Torre de Babel sexual,
Tem que dá e come,
Gente que não dá e nem come,
Outros que só dá e não come,
Outro que só come,
Outros que transam com árvores
E qualquer outra coisa...

A sociedade não se entende mais...,
Dentro dessa Torre de Babel Sexual.
Chamam de inclusão o que é exclusão
De exclusão o que é inclusão,
De direito o que destrói o direito do outros...

Agora eu sei o porquê da hipocrisia!
A hipocrisia faz com que ignoremos a verdade individual
E fechemos os olhos para essas questões pessoais,
E a sociedade encontra a paz na guerra dos conflitos  de cada um.

Na pós-Modernidade criamos os mercados consumidores
E os públicos consumidores, estão descobrimos os direitos
 Individuais, as teorizações de tudo,  
As inclusões e a deformação de tudo..
Nós tornamos tão individualistas
Que perdemos a noção de sociedade e individuo,
Direitos e valores humanos.

Há!  Que saudade da boa e velha hipocrisia
Do tempo que fazíamos tudo... Discretos e elegantes,
Sem querer impor a concordância da sociedade,
Nem querer que seja olhado como atitude e conduta natural,
Amorosa, civil, digna e bonita!

Porque não voltamos àquela boa e velha hipocrisia!
E todo mundo faz o sexo que tem vontade de fazer
E sejamos discretos em nossas intimidades
Em nossas vontades e fraquezas,
 E sociedade estará em paz
 Com o sexo que cada um faz.

 Ninguém sabe mais o que é individuo, 
O que é direito e o que é sociedade;
Individuo e sociedade se tornou a mesma coisa!

Albano Morais
J.Nunez



Banheiro alternativo para alunos homossexuais.
Os alunos do colégio estadual Vicente Rijo, em Londrina, têm a opção de poder usar um banheiro alternativo para alunos homossexuais. A iniciativa começou há dois anos, mas o assunto só se tornou público nesta quarta-feira (8), primeiro dia de aula e passou a dividir opiniões na cidade.
(O G1 chegou a informar que o banheiro era de uso exclusivo dos alunos homossexuais. A informação foi corrigida às 17h58.)
A medida, segundo o diretor Donizetti Brandino, foi adotada porque, na época, dois alunos reclamaram de constrangimento no sanitário masculino e foi aprovada pelo Conselho Escolar. Depois deses casos, outras situações pontuais aconteceram e, desde então, o banheiro dos professores passou a ser utilizado como alternativa para os alunos.
Um estudante de 17 anos que não quis se identificar afirmou que aprova a medida. “Meninos ficam olhando com cara feia”, afirmou o jovem. Ele contou que em 2011 uma inspetora do colégio o flagrou dentro do banheiro feminino e o encaminhou para a direção do colégio. O rapaz disse também que foi pedido para que ele usasse o banheiro dos professores para evitar constrangimentos para as meninas.
Na avaliação dos professores e da direção da escola, a medida não é discriminatória e não visa isolar os homossexuais, mesmo assim, afirmam que não pretendem estimular que mais alunos utilizem os banheiros já denominados de alternativos. “O nosso objetivo é a educação. É conscientizar para que essas realidades possam ser trabalhadas de forma que todos tenham direitos”, declarou o diretor Donizetti Brandino.

A opinião, entretanto, não é compartilhada por Toni Reis, presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais (AGLBT). Segundo ele, ainda que tenha sido para beneficiar os homossexuais, a atitude representa uma solução simplista que não se aprofunda na questão do respeito.

“Nós queremos uma escola inclusiva que respeita a diversidade na biblioteca, na sala de aula e banheiros”, disse o presidente da AGLBT que também é doutor em educação. Toni Reis afirmou ainda que é preciso sensibilizar a comunidade escolar e capacitar os profissionais para que haja o entendimento de respeito a individualidade. “Não podemos fazer essa segregação”.

Flávio Arns, secretário estadual de Educação, disse desconhecer a existência banheiros alternativos para homossexuais nas escolas e vê com cautela a medida. “Consideramos completamente desnecessário. Não é importante, não é necessário. Nós temos, sim, criar na escola um clima de respeito à diversidade”, disse o secretário.

Ainda nesta quarta-feira, a AGLBT vai encaminhar um ofício para a Secretaria Estadual de Educação solicitando uma intervenção na escola londrinense. A ideia, de acordo com Reis, é suspender a medida e evitar que ela seja replicada em outras unidades de ensino. Caso o pedido não seja atendido, a Associação pretende recorrer ao Ministério Público (MP).

Banheiro só para Gays
SÃO PAULO - Duas semanas depois de o cartunista Laerte Coutinho, de 60 anos, que se veste de mulher, ter sido proibido de usar o banheiro feminino de uma padaria na zona oeste da capital, a Câmara Municipal recebeu nesta terça-feira, 7, projeto de lei que propõe a criação de banheiros unissex. A ideia é do vereador Carlos Apolinário (DEM) e destinada a gays, lésbicas, bissexuais, travestis, como o artista, e até a heterossexuais.
O objetivo do projeto, segundo o vereador, é evitar constrangimentos, assegurando que banheiros de homens sejam usados apenas por homens, assim como o de mulheres só recebam mulheres. Já o unissex funcionaria como uma terceira opção, sem regra de uso definida por sexo ou preferência sexual - a única exigência é que a utilização por crianças deverá ser acompanhada de responsáveis legais.
justificativa de seu projeto.
Integrante da bancada evangélica, é a segunda vez que o vereador leva a temática homossexual para a discussão legislativa. No ano passado, ele sugeriu a criação de uma data para comemorar o orgulho hétero. Agora, afirma que o projeto, se aprovado, ajudará a manter os "bons costumes" e a boa convivência entre as pessoas, independentemente de suas preferências sexuais.
"Se a moda pega, qualquer pessoa que se declarar homossexual, ou estiver vestido de mulher, poderá entrar no banheiro feminino, constrangendo senhoras, adolescentes e até crianças."
Apolinário afirma que o caso de Laerte não é o único. "Já recebi relatos de casos semelhantes na capital. Os gays no Brasil são muito folgados. Eles querem privilégios, e isso não pode acontecer. Como a sociedade caminha para essa abertura sexual, acho natural criarmos uma opção unissex. O que não é possível é minha mãe entrar em um banheiro e encontrar um homem vestido de mulher", completa.
Votação. A proposta, que seria válida para shoppings, supermercados, restaurantes, cinemas e demais locais de diversão, ainda deve passar pela Comissão de Justiça antes de ser colocada em pauta para votação. Depois, só se aprovada por duas vezes na Casa e sancionada pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD) é que pode se transformar em lei municipal.
Polêmica em São Paulo, a ideia de se criar um banheiro exclusivo para gays já foi testada no Rio, e com críticas. No ano passado, ativistas da causa homossexual condenaram a escola de samba carioca Unidos da Tijuca, que inaugurou a opção em sua quadra. A luta de transexuais e travestis no País é pelo direito de usar banheiros femininos. Na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, ele está assegurado desde 2008.
Apolinário reconhece que deve enfrentar dificuldades em aprovar o projeto, mas assegura que lutará pela proposta.
http://www.estadao.com.br/noticias/cidades,vereador-quer-criar-banheiro-para-gay-em-sao-paulo-apos-polemica-com-laerte,832738,0.htm

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2012

A Literatura contemporâneo e o novo contexto


Na Literatura Imparcialista não há citações que dê crédito e base para o estudo do novo contexto contemporâneo do qual a Literatura Imparcialista realiza à leitura. Na literatura Imparcialista faz-se uso de notícias, videos e imagens que dizem muito mais sobre o contemporâneo depois de observado e analisado com auto-exclusão e imparcialismo. As imagens e as notícias publicadas com os artigos e poesias Imparcialista é a prova de que há um novo contexto que estamos vivenciando, analisando e realizando a leitura.

Máquinas de Pílulas para o dia seguinte para estudantes - Sociedade sexo em tudo


Sociedade sexo em tudo

Sociedade sexo fácil,
Sexo em tudo,
Dignificação de tudo
Sociedade do prazer,
Sociedade do espetáculo,
Sociedade das liberdades,
Sociedade dos possibilismos,
Sociedade da exploração de tudo,
Sociedade da comercialização de tudo....
Essa é a sociedade do contexto literário Imparcialista...
Sociedade enbriagada de sexo...
Uma sociedade com essa overdose de sexo
Esquece todos os problemas  e todos os protestos...

J.Nunez


Máquinas de Pílulas para o dia seguinte para estudantes 


Estudantes da Univesidade Shippensburg, na Pennsylvania (EUA), podem comprar uma pílula do dia seguinte colocando US$ 25 numa máquina.
A ideia chamou a atenção de autoridades federais e reacendeu a polêmica sobre a acessibilidade do contraceptivo de emergência.
A pílula vendida na máquina está à disposição dos 8.300 estudantes da instituição junto com camisinhas, descongestionantes e testes de gravidez.
Uma lei federal americana estabelece que a pílula do dia seguinte pode ser vendida sem receita para qualquer pessoa com 17 anos ou mais.


http://noticias.bol.uol.com.br/ciencia/2012/02/08/maquina-vende-pilula-do-dia-seguinte-em-universidade-americana.jhtm


Rabo de Kim Kardashian eleito o melhor do mundo - Essa é a sociedade sexo em tudo, prazer, espetáculo e entretenimento


Bunda, patrimônio nacional

Quem não tem faz gluteoplastia,
Esse é o país da bunda,
Temos campeonato de bunda,
Homens de fio dental e bunda depilada
E ainda temos as bundas de outras décadas,
A bunda do momento, a Bunda globeleza,
As bundas nas músicas,
A bunda dos dias de carnaval
Das mulheres sem rosto, toda bunda.

A bunda à moda brasileira,
Produto de exportação, patrimônio nacional,
Produto da sociedade consumista sexo fácil,
Da sociedade machista,
Da sociedade sexualidade exótica,
Da sociedade bestialidade e grosserias.
Para completar a superficialidade
Temos o futebol e a cerveja.

Não temos educação,
Escolas e professores com salário digno
Porque somos o país das bundas,
Do alcoolismo e do futebol
Que é a ilusão de país e filhos
Desse país que desconhece o poder do conhecimento.
Conhecemos o poder da bunda.



Albano Morais
J.Nunez


Kim Kardashian tem o melhor rabo do mundo (foto D.R.)

http://www.abola.pt/mundos/ver.aspx?id=314755

Rabo de Kim Kardashian eleito o melhor do mundo
Por Redação
Há muito elogiado por todo o mundo, a revista 'Zoo' veio confirmar o que muitos já pregavam aos sete ventos há muito tempo: Kim Kardashian, a socialite norte-americana, tem o melhor rabo do mundo.

Kardashian nasceu em Los Angeles filha de Robert Kardashian e Kris Jenner.

A sua beleza exótica explica-se pela ascendência diversa: arménia por parte do pai e escocesa, holandesa e nativa americana por parte da mãe.

Além da beleza da face, as curvas sinuosas de Kim tornaram-na um alvo muito apetecível para as revistas masculinas, sendo que em 2007 a socialite fez o gosto aos seus fãs, posando nua para a Playboy.

A curvilínea Kardashian, de 31 anos, bateu nomes como Rihanna e Pipa Middleton numa votação concorrida, com mais de duas mil pessoas a escolherem o melhor traseiro.

O inquérito da revista Zoo apontava 50 celebridades como Shakira (11.º), Jessica Biel (12.º) e Beyoncé (15.º) entre as candidatas.

E os 20 melhores rabos do mundo são:

1. Kim Kardashian

2. Rihanna

3. Geena Mullins

4. Pixie Lott

5. Caitlin Wynters

6. Scarlett Johansson

7. Charlotte Herbert

8. Keyra Agustina

9. Melissa D

10. Stacey Pool

11. Shakira

12. Jessica Biel

13. Amii Grove

14. Jessica-Jane Clement

15. Beyoncé

16. Michelle Keegan

17. Paige Tyler

18. Frankie Sandford

19. Georgia Salpa

20. Sammy Braddy

TCC: UM NOVO CONTEXTO PARA A LITERATURA CONTEMPORÂNEA - TRABALHO PÓS GRADUAÇÃO EM LETRAS - JOSÉ NUNES PEREIRA


UM NOVO CONTEXTO PARA A LITERATURA CONTEMPORÂNEA
                                                                                                José Nunes Pereira

RESUMO
Esse trabalho tem propósito de situar a literatura na pós-modernidade, revelar as possibilidades de construção artística e literária dentro desse contexto contemporâneo. Conseqüentemente elaborar o caminho da arte e da literatura; situada e consciente de seu tempo histórico, e engajada na leitura desse tempo que releva o homem a si mesmo e desmascara seu período histórico. Esse trabalho e esse objetivo são alcançados com os estudos da sociologia, que formulou a sociedade e o homem ao longo dos acontecimentos modernos e suposta pós-modernos. Dessas transformações sociais surgiram novas temáticas que se tornaram essências para a leitura do homem contemporâneo e seu tempo histórico.
Palavras Chave: Contexto Contemporâneo. Pós-Modernidade. Literatura. Arte 

Introdução
O tema desse trabalho é resultado de leitura e prática literárias que partiram da ideia de construção da literatura a arte para o contexto contemporâneo. Esse objetivo foi alcançado com as observações de nosso tempo histórico, do espaço virtual e de nosso espaço geográfico contextualizado com a Pós-Modernidade. As leituras e as observações da sociedade, do homem e das mídias, resultaram nesse artigo cientifico com o propósito ambicioso de revelar a possibilidade de construção da literatura que seja leitura do homem contemporâneo. Para transformar esse trabalho em artigo cientifico, e obter referências bibliográficas foi necessário recorrer aos sociólogos e seus estudos da sociedade Pós-Moderna.

 Desenvolvimento
A literatura de algum modo está ligada ao tempo de seu desenvolvimento, mesmo quando não há engajamento, ainda assim, a literatura é fruto de seu contexto. As criações artísticas, com seus movimentos artísticos, seus escritores e seus poetas relacionam de modo consciente ou inconsciente com seu tempo e espaço geográfico em que realizam a obra. É certo podemos, na era da informação,  considerar o espaço virtual . A cultura industrializada que atende a um determinado público, que é produto para consumo e possui prazo de validade, que é modismo e novidade quase sempre sexualizada pelas tendências dos modos e condutas contemporâneas. Mesmo essa cultura descartável está inserida dentro desse novo contexto, dentro desse tempo de comercialização de tudo e exploração de tudo que pode ser vendido; mesmo essa cultura industrializada participa do contexto contemporânea sendo conseqüência de seu tempo. A cultura comercial, em formato de produto, é analisada por Terry Eageton:

o pós-modernismo conta com várias fontes - o modernismo propriamente dito; o    chamado pós-industrialismo; a emergência de novas e vitais forças políticas; o recrudescimento da vanguarda cultural; a penetração da vida cultural pelo formato mercadoria; a diminuição de um espaço autônomo para a arte; esgotamento de certas ideologias burguesas clássicas, e assim por diante (op. cit., p. 29).

Essa relação do artista com seu tempo é que chamamos de contexto para a produção de uma obra artística e literária.  A obra de arte desempenha sua função quando ela recebe influencia de seu tempo, e realiza a leitura de sua época de modo objetivo e consciente; assim as realizações da literatura exerce a função nobre do engajamento nas realidades políticas, sociais, artísticas, religiosas, ideológicas. Michel Haar complementa essa breve introdução ao tema contexto artístico e literário:
 “[...] É preciso, em um segundo tempo, religar esta ressonância ‘imediata” da obra ao contexto artístico (e, sobretudo às correntes, às escolas) e também histórico e filosófico de sua época. A parte de história que temos que resgatar é para não termos aproximação demasiado ingênua das obras e entregarmo-nos à arbitrariedade de nossos juízos e emoções estéticas, é hoje sem dúvida considerável”. (HAAR, 2000, p.114)

O estudo da literatura e da arte necessita de distanciamento histórico para torne possível à pesquisa, a observação de seu envolvimento, seu contexto histórico e a relação da literatura e da arte com esse período de construção artística e literária. Esse estudo deixa evidente essa dependência, esse envolvimento, esse diálogo e essa leitura do tempo e espaço geográfico em que a obra artística se desenvolveu. Partindo dessas observações podemos sugestionar que há um novo contexto para a literatura contemporânea, essa afirmação é baseada nas afirmações de que estamos na pós-modernidade. Essa afirmação de que estamos em um novo período histórico trás a literatura e a arte uma nova probabilidade de criação artística e literária, que se engaje, documente, experimente e realize a leitura dessa pós-modernidade. Essa afirmação traz novas perspectivas e outras possibilidades para a arte e a literatura contemporânea, porque essa  afirmação sugestiona um novo contexto, um outro homem, uma outra sociedade com novos conflitos, nova maneira de viver, novos comportamentos, novos valores, novas questões socioeconômicas, novas questões socioculturais etc. Afirmar que estamos na pós-modernidade exige do pesquisador observação e análise de outro tempo, a modernidade:

Sejam bem-vindos ao pós-modernismo: ao mundo do espetáculo da mídia, do   sumiço da realidade, do fim da história, da morte do marxismo e de um grande número de outras alegações deste milênio [...]. A sociedade aproximou-se da beira do mundo agora nivelado, alegam os pós-modernistas, e a única coisa que conseguimos saber com certeza é que não podemos compreender o que nos levou para lá ou o que existe abaixo de nós, no abismo” (STABILE, 1999, p. 146).



A sociedade pós- moderna se difere da sociedade moderna quando observamos as conseqüências da modernidade causadas pelos descomedimentos, os extremos, a destruição, o nivelamento causado pela cultura comercial, a desvalorização ou valorização segundo ao que é conveniente; tudo é teorizado, questionado e destruído para saciar um tempo de teorizações de tudo, um tempo de consumismos, desenvolvimentos científicos, capitalismos, explorações dos recursos, entretenimento, prazeres, desenvolvimentos industriais, tecnológicos etc.
globalização, o multiculturalismo etc.
A simbologia de Zygmunt Bauman  que compara a sociedade ao líquido que se molda ao recipiente faz uma leitura dessa  sociedade que é flexível se molda ao seu tempo “A vida líquida é uma vida precária, vivida em condição de incertezas constante” ( BAUMAN 2005B, P.8)
A sociedade pós-moderna ou o fim da sociedade moderna proporciona ao artista, o poeta e escritor uma nova possibilidade literária, um novo contexto literário isso porque estamos de fato em outro tempo.  Em uma contemporaneidade realizada pelos efeitos e causas do modernismo.                                                                                                                               O estudo da pós-modernidade no livro "Modernidade Líquida" de Zygmunt Bauman é um dos pontos de partidas para a construção do novo contexto para a literatura contemporânea; uma literatura que se engaje na compreensão da pós-modernidade. Entre as leituras do contexto contemporâneo e as temáticas para essa arte e literatura contextualizada ao seu tempo podemos citar a sociedade dos prazeres, do entretenimento e suas fugas da vida moderna, opressiva e causadora das chamadas "doenças modernas". Essa leitura do pós-moderno de Zygmunt Bauman pode ser esse o ponto de partida:

“Comunidades de carnaval’ parece ser outro nome adequado para as comunidades em discussão. Tais comunidades, afinal, dão um alívio temporário às agonias de solitárias lutas cotidianas, à cansativa condição de indivíduos de jure persuadidos ou forçados a puxar a si mesmos pelos próprios cabelos. Comunidades explosivas são eventos que quebram a monotonia da solidão, cotidiana, e como todos os eventos de carnaval liberam a pressão e permitem que os foliões suportem melhor a rotina que devem retornar no momento em que a brincadeira terminar. E, como a filosofia, nas melancólicas meditações de Wittgenstein, ‘deixam tudo como estava’ (sem contar os feridos e as cicatrizes morais dos que escaparam ao destino de ‘baixas marginais’)” (BAUMAN, 2001, p. 229)

Nossos problemas, medos, alegrias e conflitos contemporâneos são frutos da sociedade do consumo, da sociedade do prazer e do entretenimento, da sociedade sexo fácil e cibernético, da sociedade de homens confusos, de homens desmotivados, de mulheres no poder, de mulheres emancipadas, de luta por aceitação, liberdade e inclusão, de mulheres sobrecarregadas, de mulheres libertas, tempo de doença moderna, de faltas de limite e perspectivas,  de loucura moderna etc.
Esse contexto contemporâneo se analisado com ambições de criações artísticas e literárias pode ser o formulador de novas temáticas para a arte e a literatura contemporânea. Uma produção literária e artística que seja a leitura do homem pós- moderno.                              Novas temáticas para a literatura contemporânea pode ser formulada a partir da sensibilidade, da intuição e da observação da realidade observada pelos poetas, escritores,  e artistas  assim realizar a leitura de seu tempo, espaço geográfico e de seu contexto. Vivemos na sociedade contemporâneas sobre a influência da globalização cultural e econômico, da diversidade, do multiculturalismo, do amor pós-moderno ou contemporâneo com sua sexualidade descompromissada, seu amor livre e sexual. Vivemos sobre a influência do ambientalismo, das conscientizações sociais e ambientais, das realidades sociais, dos engajamentos sociais, das inclusões e suas lutas por liberdades, das desvalorizações do homem, das condutas do homem contemporâneo, do consumismo, do ambientalismo, do sincretismo etc. Esse contexto contemporâneo é a matéria prima para a criação da literatura e da arte que seja a leitura desse novo contexto.                                               A literatura é a arte contemporânea podem se inspirar e se deixar influenciar pelas mais variadas áreas do conhecimento, justificando o conceito de multiculturalismo, interdisciplinaridade e globalização. Apesar de haver opiniões divergentes quanto à teoria de estarmos ou não no tempo pós-moderno; essa discussão não afeta a possibilidade de outro contexto para a literatura e uma possível leitura desse contexto contemporâneo.
 

Conclusão
A observação de que estamos em um novo tempo histórico, trás em si a possibilidade  de   leitura desse tempo histórico contemporâneo. A construção da literatura e da arte para o novo contexto parte do escritor, do poeta e do artista; esse artigo acadêmico busca mapear os caminhos possíveis para essa construção dessa arte e literatura engajada na leitura do homem e da sociedade de seu tempo. Essa literatura e essa arte contextualizada ao seu tempo são resultados das observações e interações conscientes ou inconscientes do produtor de obras artísticas e literárias com a sociedade em seu tempo e espaço.


REFERÊNCIAS:

A Produção Artística E A Proposta De Engajamento Sartreano: Reflexões Para A Contemporaneidade HAAR, Michel. A Obra de Arte - Ensaio sobre a ontologia das obras,  Tradução Maria Helena Kühner, Rio de Janeiro, RJ, DIFEL, 2000.   Disponível em: http://www.mundofilosofico.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=161:a-producao-artistica-e-a-proposta-de-engajamento-sartreano-reflexoes-para-a-contemporaneidade&catid=3:filosofia&Itemid=2  Acesso em 25 de set 2011

CONSIDERAÇÕES SOBRE MODERNIDADE, PÓS-MODERNIDADE E GLOBALIZAÇÃO NOS FUNDAMENTOS HISTÓRICOS DA EDUCAÇÃO NO CONTESTADO http://www.achegas.net/numero/quatorze/nilson_thome_14.htm    acesso em 27 set 2011

Luciano Vieira Francisco: A modernidade da fusão social pela solidificação individual: Modernidade Líquida, de Zygmunt Bauman http://www.klepsidra.net/klepsidra23/modernidade.htm acesso em 24 de set 2011

contato:
j.nunez@bol.com.br 

monografias com temas contemporâneos

Faça monografias com temas contemporâneos 



  • Sobre sexo sem compromisso
  • Sexo na sociedade do prazer
  • O possibilismo social
  • A revolução ambiental 
  • Sociedade do entretenimento
  • Mulheres emancipadas socialmente e sexualmente
  • Sociedade sexo fácil e entretenimento
  • Sociedade do consumo e do entretenimento
  • Literatura e poesia Imparcialista
  • Movimento Literário Imparcialismo
  • As inclusões na sociedade do sexo fácil
  • A formação do individuo na sociedade do consumo e do sexo fácil
  • A deformação da sociedade em nome da criação de mercado
  • O novo contexto para a literatura - O Imparcialismo
São apenas algumas das possibilidades que você pode encontrar aqui na Literatura Imparcialista.


Conte com o criador do movimento imparcialista 


José Nunes Pereira


Contatos com o poeta criador do Movimento Imparcialista 


 j.nunez@bol.com.br 
imparcialismo@gmail.com 









terça-feira, 7 de fevereiro de 2012

MÃO BOBA NO BBB - EXEMPLO DA SOCIEDADE SEXO FÁCIL E DESVALORIZAÇÃO DA MULHER....

Reprodução/TV Globo


Tempo de sexo fácil


Sociedade sexo fácil,
Sociedade do prazer.
Sociedade mulher emancipada,
Mulher no poder e homem,
Entorpecido de sexo fácil.

Foi o tempo em que o homem abria portas
E puxava cadeira para as mulheres,
Foi o tempo em que o ser humano tinha valores,
O ser humano é agora feito para os momentos de sexo.

Nesse tempo de sexo fácil
O homem põe a mão no sexo da mulher
E destrói seu amor próprio e sua integridade de corpo e alma.

J.Nunez

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

A Sociedade do consumo, dos prazeres e as igrejas.


As igrejas e a sociedade do prazer

Um pastor evangélico, amigo meu,
Disse que igreja é lugar para doentes,
Fracassados, pobre, iludidos e desesperados...
Porque pessoas que gozam de boa saúde
E possui dinheiro para os entretenimentos e os prazeres da vida
Não vão as igrejas...
Concluo que, contudo, as igrejas cumpram seu papel de organizar
E dar parâmetros de certo e errado para a sociedade.
Estão concluo que a igreja se transformou em lugar de entretenimentos
Para atender os sadios e que desejam desfrutar à vida,
Então concluo que as igrejas vedem a propriedade e a felicidade terrena,
Não mais a salvação para depois da morte,
É compreensível;  afinal perdemos o altruísmo e somos imediatistas
E o capitalismo formulou a sociedade do prazer desse modo.
Desfrutamos o prazer “do agora”, sem lei oculta que impeça.
Temos ainda igrejas segundo a orientação sexual de cada um...
A sociedade do prazer criou as liberdades e as inclusões
Sem perceber que essa liberdade segundo os prazeres,
Criou outras formas de exclusões muito mais perigosas,
Que é a auto-exclusão em nome das liberdades
Que se dão o direito de destruir qualquer valor,
Virtude ou conceito que impeça essa pratica de liberdade,
Pautadas nas teorizações e deformações de tudo que impeça o prazer.

Albano Morais
J.Nunez

Como construir um poema contemporâneo

Para construir um poema que seja a leitura do contemporâneo leia o contexto literário Imparcialista;
Recomendo que outras áreas da arte e do conhecimento estude esse novo contemporâneo a literatura e a arte.

PESQUISE AQUI NO BLOG ARTIGOS IMPARCIALISTAS.
PESQUISE NO GOOGLE 


Estou a disposição:
Contatos com o poeta e escritor criador do Imparcialismo José Nunes Pereira

j.nunez@bol.com.br 
imparcialismo@gmail.com 




Postagem em destaque

O Imparcialismo: O Ciclo de Saturno

O Imparcialismo que começou a ser escrito em 2006 E  revelado em 2008. Foi à leitura do fim de um período, Iniciado pós-guerras, tempos...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA