Pesquisar este blog

MOVIMENTO IMPARCIALISTA

MOVIMENTO IMPARCIALISTA
IMPARCIALISMO

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Sociedade do direito de morte e outros direitos


Ditadura da opinião
“Vale, vale tudo
Vale, vale tudo
Só não vale dançar homem com homem
E nem mulher com mulher”
Se Tim Maia tivesse cantado essa frase hoje,
Certamente seria processado por alguém da causa gay.

Esse é tempo da ditadura da opinião,
Tempo de visão plana que leva em conta apenas o direito, o prazer e o desejo,
Seja ele sexual, de vida, de vício ou até mesmo de morte, direito de morte...  
Tempo da exclusão da exclusão,
Que com a santa pretensão de ser inclusão e justiça
Erra e deforma a sociedade; e por consequência o homem.
Salomão Alcantra
J.Nunez 

Sexo fácil para a geração, imediatista e sem altruísmo


Tempo de sexo fácil

Sem querer escutar conversa alheia
Ouvi um garoto de catorze anos dizendo para o outro,
_Eu tô na seca a dois meses (sem sexo)
Esse é o tempo do sexo fácil que destrói a razão de viver do homem
Que sempre foi motivado pelo amor, pelo sexo e as conquistas,
E que sempre teve como fachada alguma forma de poder...
Cadê a mão trêmula desses garotos
Diante do poder avassalador do amor...

Octavio Guerra
J.Nunez

Nivelamentos de crianças e adultos na sociedade do consumo...


Nivelamentos de crianças e adultos na sociedade do consumo...

 A telefonia e a indústria de eletrônicos vão muito bem!...
O que vai muito mal é à aprendizagem dos alunos
Com fone de ouvido enquanto um professor fala para ninguém...

O que vai muito mal é a saúde auditiva dessa geração de futuros surdos...
Somos a sociedade do consumo e do imediatismo
É preciso vender, estão que si nade o professor que fala para ninguém,
Que si dane o aluno que não está aprendendo nada,
Que si dane a saúde aditiva de alunos futuros surdos
E incapazes para qualquer forma de trabalho
Em uma sociedade que valoriza o entretenimento e o prazer individualista,
Que si dane está escola que não consegue formar aluno
Nem mesmo para o exercício da cidadania...

Que si dane a autoridade dos pais, professores e adultos,
É preciso nivelar todo mundo a simples consumidores... a mero público alvo:
Se o moleque deseja fazer o cabelo ridículo do jogador de futebol,
Se o garoto quer se depilar e ouvir música de pura conotação sexual,
Se a garota quer ir ser cachorra no baile funk
Ou ao shopping comprar o sapato na moda; para tanto
É preciso nivelar os adultos com as crianças,
E começamos a nivelar com o diálogo em tudo...,
Depois temos a sociedade do consumo, a lei e a pedagogia do nivelamento
Para matar de uma vez por todas a autoridade dos pais,
Professores e adultos sobre os adolescentes e as crianças...

Meu pai dizia: _ Aqui quem manda sou eu,
“Você vai fazer seus gostos o dia que não comer mais nas minhas custas
Nem morar em baixo do meu teto.”
Quanto diálogo!_Perfeito!

 Pobre agora imita a educação de filho de rico;
Educação da elite que deseja filhos soberbos para a manutenção do poder...
_Educação de menino rico: como dizia minha avó.
Educação de filho de pobre é sim e não, é benza mãe, benza pai, benza avó...
Menino pobre deve saber que ser adulto é uma conquista...

Minha avó dizia:
_ Não bate na cara para não desmoralizar
Nem na cabeça para não endoidar,
Mas bunda foi feita pra apanhar.

Perdemos todas as fronteiras, somos apenas a sociedade do consumo,
Do prazer, do desejo e do entretenimento sexual...
Somos apenas público alvo para algum modismo,
Para alguns produtos ou serviços no mercado...

Enquanto escrevo ( agora 3: 30 da madrugada)
Um moleque passa de carro com um som ligado no último...
Esse é um exemplo claro de cidadão do futuro
Que olha o tempo todo próprio umbigo,  
Que si nade quem vai trabalhar hoje no feriado de sete de setembro.

Salomão Alcantra
J.Nunez 

quinta-feira, 6 de setembro de 2012

A indústria da arte, a função da arte e a arte superior.


Há três olhares para a arte

Há três olhares que formam
Três grupos de apreciadores
E criadores da música e da arte:

O primeiro grupo, o mais contemporâneo,
Olha a arte como diversão;
Arte para esse tempo de consumismo, fútil,
Arte para a grande massa, que faz da arte,
Da celebridade e do artista produto descartável

O segundo grupo, o mais rebelde,
Olha a arte como engajamento e diversão,
Esse é um olhar mais refinado,
Que dá um sentido nobre a arte.

O terceiro grupo, o mais seleto,
É quase uma irmandade secreta
Que olha a arte como contemplação
Que sabe que a arte tem à função
De elevar a alma humana,
Engajar-se na leitura de seu tempo,  
Nos momentos de displicência;
Diversão e felicidade de alma arrebatada pela arte.
Esse deve ser olhar do artista
E do apreciador do Imparcialismo.

Octávio Guerra
J.Nunez

quarta-feira, 5 de setembro de 2012

Eles já foram para Marte; Gente ainda não.


Tempo dos robôs         

Seu Constantino, velho amigo de meu pai,
Disse diante da notícia sobre robôs:
_Máquinas, computador e robôs
São mais importantes que gente...
Eles já foram para Marte;
Gente ainda não.

Eles representam coisa artificial;
E é o que tem valor em nosso tempo,
 Gente é natural: carne o osso,
Gente tem dores de parto,
Gente falta no emprego,
Gente reclama,
Gente fala mais do que trabalha...
O único problema é que os robôs ainda não comem...
E não podem produzir e
Reproduzir para ele, por eles mesmos.
Sábio senhor Constantino!

Salomão Alcantra
J.Nunez

terça-feira, 4 de setembro de 2012

Pedagogia do Nivelamento


Pedagogia do Nivelamento

Não está fácil educar filhos,
Está se tornando impossível ministrar aulas
Nesse tempo de nivelamento de adultos com crianças,
Nesse tempo em que professores se vêem obrigados
A bater boca com crianças e adolescentes
Porque simplesmente não possuem autoridade...
Essa é a Pedagogia do Nivelamento.

Octávio Guerra
J.Nunez  

Tempo de entretenimento, Prazeres, vícios, desejos e liberdades acima de tudo, Imediatismo, consumismo, não altruísmo, descompromissos, Divertimento sexual, narcisismo e imaturidade...


cronopoema do dia

Geração de garotos depilados

O garoto é da geração garotos depilados;
Não quis a vaga de carregador no porto...
Voltou para casa depois de um crime terrível:  
O pai não suportou a dor de corno
E a mulher dizendo todos os dias que ganhava mais do que ele,
Mas a obrigação de sustentar a casa é dele, o homem da casa.
.
Quando brigavam ele concluía com essa frase bem coerente:
“Estão para que a mulher quer ganhar igual homem”
Ela respondia a mesma coisa sempre:
“Para gastar com ela mesma,” dessa fez ela exagerou,
“E ficar bonita para os garotões”

Ela só escutou um o quê você disse!
Não deu tempo de tentar consertar o que tinha dito,
O homem que estava fazendo o jantar, e tinha uma faca na mão esquerda,
Num único golpe degolou a mulher ali na cozinha.
O pai se matou em seguida com a intenção de apagar
O sentimento de inferioridade masculina.

O filho do casal gasta a herança com garotas de balada,
Sexo fácil, álcool e cocaína; comprou um “carro amarelo”
Como diz naquela música descartável, sucesso do momento,
E vive o seu tempo de entretenimento,
Prazeres, vícios, desejos e liberdades acima de tudo,
Imediatismo, consumismo, não altruísmo, descompromissos,
Divertimento sexual, narcisismo e imaturidade...

Salomão Alcantra
J.Nunez

Postagem em destaque

O Imparcialismo: O Ciclo de Saturno

O Imparcialismo que começou a ser escrito em 2006 E  revelado em 2008. Foi à leitura do fim de um período, Iniciado pós-guerras, tempos...

O Novo Contexto Para a Literatura Contemporânea

MOVIMENTO IMPARCIALISTA